Wellington pede estudo para prevenir colapso

O governador do Piauí, Wellington Dias, pediu à equipe econômica um estudo sobre os gastos do Estado para definir onde poderá reduzir despesas caso seja necessário fazer mais cortes para garantir o pagamento da folha do funcionalismo público e o 13º salário; secretário da Fazenda, Rafael Fonteles disse que o Estado corre sério risco de atrasar pagamentos de salários e fornecedores se não receber recursos extras da União; segundo Wellington, para pagar o 13º, foi constituído um fundo para depósito de uma parcela todo mês, com o objetivo de evitar problemas maiores ou não ter o dinheiro no final do ano; cortes em viagens e em combustível estão sendo feitos

O governador do Piauí, Wellington Dias, pediu à equipe econômica um estudo sobre os gastos do Estado para definir onde poderá reduzir despesas caso seja necessário fazer mais cortes para garantir o pagamento da folha do funcionalismo público e o 13º salário; secretário da Fazenda, Rafael Fonteles disse que o Estado corre sério risco de atrasar pagamentos de salários e fornecedores se não receber recursos extras da União; segundo Wellington, para pagar o 13º, foi constituído um fundo para depósito de uma parcela todo mês, com o objetivo de evitar problemas maiores ou não ter o dinheiro no final do ano; cortes em viagens e em combustível estão sendo feitos
O governador do Piauí, Wellington Dias, pediu à equipe econômica um estudo sobre os gastos do Estado para definir onde poderá reduzir despesas caso seja necessário fazer mais cortes para garantir o pagamento da folha do funcionalismo público e o 13º salário; secretário da Fazenda, Rafael Fonteles disse que o Estado corre sério risco de atrasar pagamentos de salários e fornecedores se não receber recursos extras da União; segundo Wellington, para pagar o 13º, foi constituído um fundo para depósito de uma parcela todo mês, com o objetivo de evitar problemas maiores ou não ter o dinheiro no final do ano; cortes em viagens e em combustível estão sendo feitos (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Piauí 247 - O governador do Piauí, Wellington Dias, pediu nessa quarta-feira (21), à equipe econômica um estudo sobre os gastos do Estado para definir onde poderá reduzir despesas caso seja necessário fazer mais cortes para garantir o pagamento da folha do funcionalismo público e o 13º salário. O chefe do executivo teve uma reunião com os secretários da Fazenda, Rafael Fonteles, e da Administração, Franzé Silva, para analisar as medida que podem ser adotadas para manter o equilíbrio financeiro do Estado.

Segundo Wellington, para pagar o 13º, foi constituído um fundo para depósito de uma parcela todo mês, com o objetivo de evitar problemas maiores ou não ter o dinheiro no final do ano. As equipes da Sefaz e da Administração foram encarregadas de aumentar o patamar dos cortes que estão sendo feitos para conter despesas.

O titular da Fazenda, Rafael Fonteles, afirmou que o Estado corre sério risco de atrasar pagamentos de salários e fornecedores se não receber recursos extras da União, conforme noticiou o Diário do Povo. A receita do estado segue caindo por conta da crise econômica e do próprio mercado. Segundo Rafael Fonteles, o Estado perdeu R$ 300 milhões em repasses do FPE (Fundo de Participação do Estado) de janeiro até agosto.

Os governadores de 14 estados aguardam o retorno de Michel Temer, para conversarem sobre o repasse de R$ 14 bilhões para os estados, referente à retenções do FPE.

No primeiro trimestre, o governo publicou um decreto determinando a redução linear de 20% nos gastos com custeio e manutenção da máquina pública. O percentual subiu para 30% de todas as despesas do Estado. Esses cortes estão sendo feitos em viagens, combustível, alugueis, diárias, dentre outras.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247