Jovens começam projeto de educação ambiental com aves

Com o objetivo de promover a Educação Ambiental e a Ciência Cidadã no Espírito Santo, o Vem Passarinhar Capixaba traz informações sobre a avifauna e conhecimentos do mundo natural de forma acessível

Gabriel Bonfa e Catrieli Crivelari em campo
Gabriel Bonfa e Catrieli Crivelari em campo (Foto: jovens-observando-aves)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Gabriel Scaldaferro Bonfa e Catrieli Aparecida Bergamo Crivelari são dois jovens que não apenas amam a natureza como também buscam compreendê-la em sua totalidade. Ávidos estudantes, ambos têm o plano de seguir carreiras focadas no meio ambiente: Gabriel, atualmente cursando Ciências Biológicas, pretende seguir carreira como ornitólogo, e Catrieli, cursando Medicina Veterinária, pretende se especializar em animais silvestres.  No entanto, transcendendo o simples estudo esses jovens já assumiram a responsabilidade de reeducar a sociedade para abrir seus olhos à importância do mundo natural. Dessa forma fundaram o Vem Passarinhar Capixaba (VPC). 

Surgimento

Passarinhar é um neologismo que basicamente remete ao ato de andar com um binóculo e/ou câmera em mãos, identificar e registrar as espécies da avifauna que cruzam seu caminho. A popularização desse fenômeno se deu em parte pelo surgimento da plataforma online Wikiaves e para pôr em prática essa atividade pode-se usar guias ilustrados de espécies de aves e aplicativos, como o Merlin, cuja inteligência artificial reconhece aves por foto. Usufruindo das passarinhadas como ferramenta para a sensibilização do público, o Vem Passarinhar Capixaba tem o objetivo de promover a educação ambiental e a ciência cidadã em Unidades de Conservação no estado do Espírito Santo. 

“É uma honra para nós transmitir a importância e o impacto que a natureza promove”, diz Gabriel à 247 e acrescenta que “a vida é muito mais colorida se prestarmos atenção nos pequenos detalhes! A educação ambiental é o futuro de toda a biodiversidade existente.” O jovem acredita que o funcionamento da conservação esteja fortemente ligado a ações que envolvem a sociedade civil diretamente com o meio natural.

Gabriel e Catrieli relatam que a ideia do projeto surgiu em meados de 2019 quando assistiam a uma palestra sobre o movimento Vem Passarinhar.

Já trabalhávamos com a educação ambiental na Reserva Natural Vale com o projeto ‘Passarinhando na Reserva’, mas esse projeto é exclusivo para escolas públicas e restrito à reserva”, diz Catrieli. Ambos sentiam a necessidade de expandir os horizontes e atingir um público maior.

Vem Passarinhar

O Vem Passarinhar é um movimento nacional, que surgiu no Observatório de Aves do Instituto Butantan em 2014, idealizado pelo ornitólogo Luciano Lima e a bióloga Erika Hingst-Zaher. O movimento já conta com vários projetos espalhados pelo país, que buscam aproximar as pessoas da natureza através da observação de aves e inspirar a ciência cidadã. Entre os estados que já possuem capítulos estão o Ceará, Alagoas, Amazonas, Tocantins, Paraíba, Paraná, Pará, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Santa Catarina, São Paulo e Bahia. 

Gabriel e Catrieli viram nesse movimento a oportunidade de causar um impacto maior. “A nossa ideia, inicialmente, era propor isso apenas à cidade de Linhares. Mas o projeto alcançou uma proporção muito maior do que imaginávamos, e pretendemos atingir todo o território capixaba. Por isso o nome ‘Vem Passarinhar CAPIXABA’” diz Gabriel à 247.

Ações 

Gabriel e Catrieli contam que iniciaram o projeto durante a atual pandemia de COVID-19 e dessa forma não puderam fazer muitas atividades em campo. “Ainda não pudemos realizar nenhuma atividade presencial nas atuais circunstâncias”, disseram os jovens. No entanto, encontraram a solução virtualmente: “graças às redes sociais se tornou possível a interação das pessoas com o meio ambiente. Sempre publicamos sobre as aves capixabas e curiosidades sobre elas, e isso vem gerando muito engajamento”, disse Catrieli. 

Com postagens semanais a respeito das aves e com um projeto gráfico chamativo e harmônico, o VPC já tem grande reconhecimento. A organização Instituto Marcos Daniel, reconhecida internacionalmente pelos seus trabalhos de conservação da natureza baseados nos conceitos da Medicina da Conservação e nos princípios de Manhattan que estabelecem o conceito One World – One Health, apoia institucionalmente o VPC e traz a Gabriel e Catrieli novas perspectivas na sensibilização da sociedade. “É uma honra para nós ter o apoio de uma instituição tão reconhecida na conservação da mata atlântica e da biodiversidade capixaba. Ter esse apoio nos incentiva a dar uma nova dimensão ao projeto, mostrando a todos que a Educação Ambiental é parte importante na conservação”, diz Gabriel à 247.

 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email