A falha da farsa do empreiteiro que mentiu sobre Temer

"Se a doação foi pagamento de propina, foi pagamento a Michel Temer…", aponta Fernando Brito, editor do Tijolaço, ao comentar o cheque de R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez para o então vice-presidente

"Se a doação foi pagamento de propina, foi pagamento a Michel Temer…", aponta Fernando Brito, editor do Tijolaço, ao comentar o cheque de R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez para o então vice-presidente
"Se a doação foi pagamento de propina, foi pagamento a Michel Temer…", aponta Fernando Brito, editor do Tijolaço, ao comentar o cheque de R$ 1 milhão da Andrade Gutierrez para o então vice-presidente (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço

O Globo noticia que o ex-presidente da Andrade Gutierrez, Otávio Azevedo, vai ser acareado com o ex-tesoureiro da campanha de Dilma Rousseff na próxima quinta-feira, para explicar porque acusou ter sido “doado ao PT e repassado para a campanha” um valor que foi, de fato, recebido por Michel Temer e, só aí, repassado por ele ao comando da campanha.

O ministro relator do processo, Herman Benjamim, aceitou pedido da defesa de Dilma para a acareação, depois que ela pediu a abertura de inquérito por falso testemunho diante das declarações do empreiteiro, inclusive cópia do cheque – reproduzida ontem aqui – e do recibo do próprio PMDB que especifica não só que a doação foi originariamente feita pela empreiteira na conta de Temer como o repasse à campanha de Dilma foi regular.

Mesmo que haja doações  da OAS ao PT – e a empreiteira doou a todos os partidos – não houve repasse algum de doações para a campanha de Dilma por este caminho. Isto é, se a doação foi pagamento de propina, foi pagamento a Michel Temer…

recibo

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247