Apoio à Copa reforça inflexão editorial de Veja

Edição deste fim de semana destaca as ameaças ao Mundial de 2014, defende medidas de segurança e traz um editorial em que a revista assume posição favorável à realização da "Copa das Copas"; quinze dias atrás, outra capa ressaltava a grande oferta de empregos no Brasil, num claro sinal de paz enviado ao poder; num momento em que as revistas perdem influência e são desafiadas pela migração de leitores para outras plataformas, sobretudo a internet, os black blocs do jornalismo se mostram mais tolerantes

Edição deste fim de semana destaca as ameaças ao Mundial de 2014, defende medidas de segurança e traz um editorial em que a revista assume posição favorável à realização da "Copa das Copas"; quinze dias atrás, outra capa ressaltava a grande oferta de empregos no Brasil, num claro sinal de paz enviado ao poder; num momento em que as revistas perdem influência e são desafiadas pela migração de leitores para outras plataformas, sobretudo a internet, os black blocs do jornalismo se mostram mais tolerantes
Edição deste fim de semana destaca as ameaças ao Mundial de 2014, defende medidas de segurança e traz um editorial em que a revista assume posição favorável à realização da "Copa das Copas"; quinze dias atrás, outra capa ressaltava a grande oferta de empregos no Brasil, num claro sinal de paz enviado ao poder; num momento em que as revistas perdem influência e são desafiadas pela migração de leitores para outras plataformas, sobretudo a internet, os black blocs do jornalismo se mostram mais tolerantes (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A revista Veja foi, é e sempre será avessa a todos os governos trabalhistas, a qualquer tipo de nacionalismo e nunca deixará de ser antipetista. É algo que está gravado no DNA da Editora Abril. No entanto, há algo de novo nas margens do Rio Pinheiros, em São Paulo. Nas últimas três semanas, duas capas foram claramente alinhadas com o discurso oficial. Uma destacava a grande oferta de empregos no Brasil. Outra, a deste fim de semana, traz um relatório oficial sobre ameaças à Copa de 2014 e defende que todas as medidas de segurança sejam tomadas.

Mais importante do que a capa em si é o editorial "A favor da Copa", em que a revista assume sua posição editorial diante do torneio. "Não se pode admitir que uma minoria de descontentes resolva recorrer a meios violentos para impedir a realização do evento. Isso é terrorismo. Cabe, portanto, ao Estado brasileiro coibir com os meios de que dispuser, dentro da lei, as manifestações terroristas em território nacional", diz o texto.

A publicação informa também ter recebido com alívio a informação de que o governo se mostra preparado para garantir a paz durante o torneio. "Nesse contexto, foi com alívio que a sucursal de Veja em Brasília apurou que as autoridades estão alertas quanto aos focos de distúrbios que se formam com a intenção explícita de atrapalhar ou até impedir a realização da Copa do Mundo", prossegue o editorial.

Com este posicionamento, tomado num momento em que as revistas estão mergulhadas numa profunda crise financeira, os black blocs do jornalismo se afastam dos black blocs das ruas. E uma Copa com tranquilidade pode ser decisiva também nas eleições que ocorrerão apenas três meses depois.


O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email