Após “discursos de ódio” de Villa, TV Cultura pede “isenção crítica”

Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, ao qual a TV Cultura está vinculada, divulgou uma recomendação à direção da emissora, no qual se lamenta que o comentarista Marco Antonio Villa, que participa do "Jornal da Cultura", esteja se manifestando por meio de "verdadeiros discursos de ódio e de incitamento à violência"; o conselho aprovou novas diretrizes para o jornalismo da TV Cultura, que determina que âncoras, apresentadores e editores precisam "garantir a sua credibilidade pelo exercício da isenção crítica"

Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, ao qual a TV Cultura está vinculada, divulgou uma recomendação à direção da emissora, no qual se lamenta que o comentarista Marco Antonio Villa, que participa do "Jornal da Cultura", esteja se manifestando por meio de "verdadeiros discursos de ódio e de incitamento à violência"; o conselho aprovou novas diretrizes para o jornalismo da TV Cultura, que determina que âncoras, apresentadores e editores precisam "garantir a sua credibilidade pelo exercício da isenção crítica"
Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, ao qual a TV Cultura está vinculada, divulgou uma recomendação à direção da emissora, no qual se lamenta que o comentarista Marco Antonio Villa, que participa do "Jornal da Cultura", esteja se manifestando por meio de "verdadeiros discursos de ódio e de incitamento à violência"; o conselho aprovou novas diretrizes para o jornalismo da TV Cultura, que determina que âncoras, apresentadores e editores precisam "garantir a sua credibilidade pelo exercício da isenção crítica" (Foto: Gisele Federicce)

247 - Uma semana depois de uma edição do "Jornal da Cultura" em que o comentarista Marco Antonio Villa fez discursos duros e ofensivos contra o ex-presidente Lula, o governador do Rio de Janeiro e chamou o senador Roberto Requião de "a Maria Louca do Paraná", trecho que foi até editado da versão no site, o Conselho Curador da Fundação Padre Anchieta, ao qual a TV Cultura está vinculada, se reuniu, no dia 10 de abril, para discutir os comentários do historiador.

Segundo o colunista Maurício Stycer, da Folha, o Conselho divulgou uma recomendação à direção da emissora, no qual se lamenta que Marco Antonio Villa esteja se manifestando por meio de "verdadeiros discursos de ódio e de incitamento à violência". O texto diz que a pluralidade político-ideológica "deve efetivar-se nas escolhas das pautas e das reportagens, na seleção e na orientação dos entrevistados e dos entrevistadores".

O Conselho aprovou ainda novas diretrizes para o jornalismo da TV Cultura, que determina que âncoras, apresentadores e editores precisam "garantir a sua credibilidade pelo exercício da isenção crítica". Confira aqui a coluna de Stycer.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247