Arábia Saudita pode acabar com anonimato no Twitter

Rede social vem fomentando debates sobre religião e política no país, temas que podem ser considerados indecorosos, e em alguns casos, ilegais; no começo do mês, um porta-voz do governo descreveu particularmente o Twitter como uma ferramenta usada por extremistas que tratavam de provocar a instabilidade social

Arábia Saudita pode acabar com anonimato no Twitter
Arábia Saudita pode acabar com anonimato no Twitter
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

RIAD, 30 Mar (Reuters) - Arábia Saudita poderá tentar acabar com o anonimato dos usuários do Twitter limitando o acesso à página da web para as pessoas que não se cadastrarem com seu documento de identificação, segundo informou o jornal Arab News neste sábado.

Na semana passada, a mídia local informou que o governo havia pedido às empresas de telecomunicações que buscassem formas para poder rastrear ou bloquear os serviços de telefonia na internet para celulares como o Skype.

O twitter é muito popular entre os sauditas e vem fomentando um amplo debate sobre as questões que vão desde religião até política em um país em que este tipo de discussão pública é considerada, no melhor dos casos, indecorosa e, em algumas ocasiões, ilegais.

No começo do mês, um porta-voz do Ministério do Interior descreveu as redes sociais, particularmente o Twitter, como uma ferramenta usada por extremistas que tratavam de provocar a instabilidade social.

"Uma fonte (do órgão regulador) descreveu a iniciativa como um resultado natural depois do êxito na implantação de sua decisão de acrescentar um número de identificação para o usuário recarregar o saldo do telefone celular", informou o Arab News.

O diário, escrito em inglês, da mesma linha do periódico árabe saudita Asharq al-Awsat, não deu explicações sobre como as autoridades poderiam restringir as publicações no Twitter.

Os dois periódicos pertencem a um grupo editorial de propriedade da família real e são administrados pelo irmão do príncipe herdeiro Salman.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email