Associação Brasileira de Imprensa condena agressão a Glenn Greenwald

"A ABI considera inaceitável e preocupante este acontecimento, pois tal episódio indica que as hordas antidemocráticas decidiram sair das ofensas das redes sociais para ações físicas", diz a nota da entidade

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Em nota divulgada nesta sábado (13), a Associação Brasileira de Imprensa (ABI) condenou a tentativa de censura a palestra do jornalista e editor do The Intercep Brasil, Glenn Greenwald, na última sexta-feira (12). 

Durante sua participação na Feira Literária Internacional de Paraty (FLIP), manifestantes em apoio ao ministro da Justiça, Sérgio Moro, soltaram fogos de artifício e colocaram música alta próximo ao local onde Glenn compunha uma mesa.

"A ABI considera inaceitável e preocupante este acontecimento, pois tal episódio indica que as hordas antidemocráticas decidiram sair das ofensas das redes sociais para ações físicas, numa clara demonstração de desprezo pelo Estado Democrático de Direito", diz a nota assinada pelo presidente Paulo Jeronimo e o vice Cid Benjamin.

Confira a nota na íntegra

Durante palestra na programação paralela da FLIP - Feira Literária Internacional de Paraty, nessa sexta-feira (12/7), o jornalista Glenn Greenwald foi vítima de uma tentativa de censura inaceitável. Um bando de desordeiros antidemocráticos, soltando fogos de artifício – inclusive em direção ao público -, e com um caminhão de som tocando músicas em alto volume, além do uso de lasers, tentou impedir a realização do evento.

A ABI considera inaceitável e preocupante este acontecimento, pois tal episódio indica que as hordas antidemocráticas decidiram sair das ofensas das redes sociais para ações físicas, numa clara demonstração de desprezo pelo Estado Democrático de Direito.

Diante deste fato, que representa um acirramento das agressões à democracia, e com a inação cúmplice do governo, caso ocorra qualquer atentado à integridade física de Glenn Greenwald e sua família, a ABI irá responsabilizar pessoalmente o presidente da República e o ministro da Justiça.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247