Bateu o desespero na direita. A última “fake” é acordo Globo-Lula

"Circula no WhatsApp um áudio falso, atribuído a um profissional do jornalismo da Globo, dizendo-se revoltado porque a emissora passaria a atacar Michel Temer e defender Lula, com quem teria feito um acordo. O áudio é uma fraude grosseira, mas viralizou", diz o jornalista Lauro Jardim; sobre o tema, Fernando Brito, do Tijolaço, afirma que a nova fake news é fruto do desespero da direita brasileira

"Circula no WhatsApp um áudio falso, atribuído a um profissional do jornalismo da Globo, dizendo-se revoltado porque a emissora passaria a atacar Michel Temer e defender Lula, com quem teria feito um acordo. O áudio é uma fraude grosseira, mas viralizou", diz o jornalista Lauro Jardim; sobre o tema, Fernando Brito, do Tijolaço, afirma que a nova fake news é fruto do desespero da direita brasileira
"Circula no WhatsApp um áudio falso, atribuído a um profissional do jornalismo da Globo, dizendo-se revoltado porque a emissora passaria a atacar Michel Temer e defender Lula, com quem teria feito um acordo. O áudio é uma fraude grosseira, mas viralizou", diz o jornalista Lauro Jardim; sobre o tema, Fernando Brito, do Tijolaço, afirma que a nova fake news é fruto do desespero da direita brasileira (Foto: Leonardo Attuch)

Por Fernando Brito, editor do Tijolaço

Na coluna de Lauro Jardim, agora há pouco:

Circula no WhatsApp um áudio falso, atribuído a um profissional do jornalismo da Globo, dizendo-se revoltado porque a emissora passaria a atacar Michel Temer e defender Lula, com quem teria feito um acordo.
O áudio é uma fraude grosseira, mas viralizou.
Numa outra versão, o áudio é antecedido por um texto que diz que o dono da voz é Luiz Nascimento, diretor do Fantástico, que teria pedido demissão na sexta-feira, o que é falso também.
A motivação do áudio é clara, e, para a Globo não seria difícil chegar aos autores e desmascarar a fraude.

Quem conhece Luizinho, como Luiz Nascimento é chamado no meio profissional, sabe que nem a voz é dele nem o comportamento seria o seu.

E, sobretudo, que o comportamento da Globo é o inverso absoluto do que é alegado na gravação.

Como o é o de Lula, que anda batendo na Globo numa frequência e e intensidade dos melhores tempos de Leonel Brizola.

Alguém já sabe resultado assustador de pesquisas e arranja a desculpa de que “é a Globo”, na esperança que a emissora suba ainda mais os ataques a Lula.

Inútil, porque, já que lembrei Brizola, já é perceptível  o “efeito pão-de-ló”: quanto mais batem, mais cresce.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247