BBC já discute a demissão de Paulo Guedes

Reportagem da BBC Brasil aponta que, para analistas políticos e econômicos, caso o ministro Paulo Guedes (Economia) deixe o cargo, afetará de forma significativa a imagem do governo Jair Bolsonaro

Ministro Paulo Guedes ameaçou deixar o cargo
Ministro Paulo Guedes ameaçou deixar o cargo (Foto: Valter Campanato/Agência Brasil)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Analistas políticos e econômicos preveem um desgaste brutal no governo Jair Bolsonaro com uma eventual saída do ministro Paulo Guedes (Economia). As entrevistas foram publicadas pela BBC Brasil.

"Paulo Guedes é um dos pilares da razoável estabilidade na percepção de investidores e empresários com relação à economia, a despeito de todos os focos de incerteza. Se ele sair, acredito que o presidente buscaria um nome na mesma linha. Seria um risco muito alto para a administração Bolsonaro perder a questão econômica como uma variável para capital político", afirma o cientista político Rafael Cortez, da consultoria Tendências.

De acordo com o economista Bráulio Borges, da consultoria LCA e do Ibre/FGV, o "timing" (melhor momento) para aprovar as reformas vai até meados desse ano, pois no segundo semestre haverá eleições municipais e, no início de 2021, acaba o mandato de Rodrigo Maia (DEM) como presidente da Câmara dos Deputados. O parlamentar tem sido a principal voz no Congresso a favor das reformas de Guedes.

Para consultora econômica Zeina Latif, que até janeiro era economista-chefe da XP Investimentos, falta clareza sobre qual o "compromisso" do governo Bolsonaro com as reformas, depois da aprovação das mudanças da Previdência, em 2019. 

"A gente não consegue hoje dizer qual o próximo item que o governo vai trabalhar para aprovar no Congresso. É o Plano Mansueto (medidas para melhorar as contas de Estados e municípios)? É a PEC Emergencial (que também trata de contas públicas)? É a carteira Verde-Amarela (proposta de novos contratos de trabalho)? É a reforma tributária?", questiona a economista.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247