Blog da Cidadania: “nova matéria do Globo é inverídica”

Jornal O Globo diz em nova matéria que a esposa do ex-presidente Lula, dona Marisa, pegou as chaves do tripléx no Guarujá em junho; "Se O Globo quiser, pode ir ao cartório de registro de imóveis do Guarujá verificar se algum apartamento do edifício Solaris está em nome de qualquer pessoa da 'família Lula' e, assim, descobrirá que não existe tal apontamento nesse sentido", contesta o blogueiro Eduardo Guimarães

Jornal O Globo diz em nova matéria que a esposa do ex-presidente Lula, dona Marisa, pegou as chaves do tripléx no Guarujá em junho; "Se O Globo quiser, pode ir ao cartório de registro de imóveis do Guarujá verificar se algum apartamento do edifício Solaris está em nome de qualquer pessoa da 'família Lula' e, assim, descobrirá que não existe tal apontamento nesse sentido", contesta o blogueiro Eduardo Guimarães
Jornal O Globo diz em nova matéria que a esposa do ex-presidente Lula, dona Marisa, pegou as chaves do tripléx no Guarujá em junho; "Se O Globo quiser, pode ir ao cartório de registro de imóveis do Guarujá verificar se algum apartamento do edifício Solaris está em nome de qualquer pessoa da 'família Lula' e, assim, descobrirá que não existe tal apontamento nesse sentido", contesta o blogueiro Eduardo Guimarães (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Eduardo Guimarães, do Blog da Cidadania

O Globo voltou à carga sobre o apartamento "tríplex" que o ex-presidente Lula teria no Guarujá, adquirido em consórcio formado pela cooperativa Bancoop. Há dez dias (7/12), o jornal "denunciou" que, em 2005, sua esposa, dona Marisa, teria comprado, via Bancoop, cota de um apartamento de três pisos em um condomínio no Guarujá, na praia das Astúrias.

O jornal afirmara que "(...) O Edifício Solaris, onde a família Lula da Silva tem apartamento, ficou pronto em dezembro do ano passado. A reforma do apartamento 164 é tocada por seu filho Lulinha, segundo funcionários do edifício, e foi vistoriada por dona Marisa o tempo todo. Ela mesmo providenciou a decoração do local, visitado por Lula apenas três vezes (...)"

O Globo ainda deu outros detalhes do negócio, afirmando que "(...) A família Lula construiu um elevador privativo para levá-los do 16º ao 18º, que, no projeto original, tinha apenas escadas internas. Lulinha usou também parte do quarto de empregada e um canto da sala para fazer um escritório. Mandou também colocar porcelanato em tudo. A cobertura com piscina também recebeu uma boa área gourmet (...)"

Em nota divulgada pelo Instituto Lula, o ex-presidente negou as informações.

 

Eis que, nesta quarta-feira (17), o jornal O Globo publica uma segunda matéria sobre o assunto, afirmando que "Mulher de Lula pegou as chaves de tríplex no Guarujá em junho". No texto, o jornal repete as afirmações do texto anterior e dá informação nova, de que a entrega das chaves teria ocorrido "em junho" para dona Marisa.

Sempre segundo o jornal, "(...) A informação é de moradores do condomínio, que também pegaram as chaves de seus apartamentos naquele dia, distribuídas pela OAS, a construtora que finalizou as obras do empreendimento (...)".

O jornal, desta vez, deu nome aos bois ao menos nessa afirmação da entrega das chaves, ao contrário do que fez ao citar "obras" no "apartamento 164" do edifício Solaris que teriam sido conduzidas por "Lulinha" e pela esposa do ex-presidente, história que O Globo atribuiu a "moradores do prédio" e a "um dos funcionários do condomínio" cujos nomes não cita.

O jornal diz que a versão sobre ter havido entrega das chaves a dona Marisa teria sido informada por "(...) Lenir de Almeida Marques, casada com Heitor Gushiken, primo do ex-ministro Luiz Gushiken, morto em 2013 (...)", pessoa que adquiriu um dos apartamentos daquele empreendimento.

O jornal concluiu a segunda matéria sobre o "tríplex" afirmando que "(...) Questionado sobre o fato de que dona Marisa já pegou as chaves, o Instituto Lula se recusou a comentar e informou apenas que continuaria valendo a nota que publicou em seu site na última sexta (...)"

O Blog fez sua apuração sobre o caso e dessa apuração decorre o que vai a seguir:

1 – A "família Lula" só tem cota de uma unidade do edifício Solaris. Não tem imóvel naquele empreendimento. Pode até vir a adquirir, pois o pagamento dessa cota dá direito, mas, até o momento, não fez essa opção.

2 – Se O Globo quiser, pode ir ao cartório de registro de imóveis do Guarujá verificar se algum apartamento do edifício Solaris está em nome de qualquer pessoa da "família Lula" e, assim, descobrirá que não existe tal apontamento nesse sentido.

3 – Lula e sua família visitaram algumas vezes um empreendimento do qual tinham cota. Todavia, isso não significa que sejam proprietários do imóvel. Apenas vistoriaram imóvel do qual pagaram uma fração do valor, fração que lhes dá opção de comprá-lo ou ter de volta o que foi pago.

Este Blog apurou o caso meticulosamente e, diante disso, afirma que o jornal está tentando fazer prevalecer uma versão que não condiz com a realidade, simplesmente porque não quer aceitar que deu uma informação que não pôde e não poderá confirmar.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247