BNDES: errar é humano, persistir no erro é Época

Depois de reincidir na publicação de uma mentira relacionada aos empréstimos do BNDES à usina São Fernando, de José Carlos Bumlai, a revista Época recebeu uma resposta dura do banco; na nota, o BNDES lembrou que falha de Época já havia sido corrigida por um veículo do mesmo grupo editorial, o jornal O Globo; Época, no entanto, mantém sua campanha negativa em relação ao banco

Depois de reincidir na publicação de uma mentira relacionada aos empréstimos do BNDES à usina São Fernando, de José Carlos Bumlai, a revista Época recebeu uma resposta dura do banco; na nota, o BNDES lembrou que falha de Época já havia sido corrigida por um veículo do mesmo grupo editorial, o jornal O Globo; Época, no entanto, mantém sua campanha negativa em relação ao banco
Depois de reincidir na publicação de uma mentira relacionada aos empréstimos do BNDES à usina São Fernando, de José Carlos Bumlai, a revista Época recebeu uma resposta dura do banco; na nota, o BNDES lembrou que falha de Época já havia sido corrigida por um veículo do mesmo grupo editorial, o jornal O Globo; Época, no entanto, mantém sua campanha negativa em relação ao banco (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Depois de reincidir na publicação de uma mentira relacionada aos empréstimos do BNDES à usina São Fernando, de José Carlos Bumlai, a revista Época recebeu uma resposta dura do banco.

Na nota, o BNDES lembrou que falha de Época já havia sido corrigida por um veículo do mesmo grupo editorial, o jornal O Globo. Confira abaixo:

A revista “Época” volta a distorcer e omitir informações com o objetivo de atacar o BNDES. Desta vez, entretanto, a publicação inova ao repetir erro já corrigido por outro veículo de comunicação do mesmo grupo ao qual pertence. No texto publicado nesta semana sobre o pecuarista José Carlos Bumlai, “Época” afirma que o BNDES aceitou, para um empréstimo de R$ 330 milhões, garantia inferior a 1% deste valor. A afirmação está incorreta. O mesmo equívoco foi cometido pelo jornal “O Globo”, que corrigiu a informação em nota publicada no jornal e em seu site no último dia 24.http://goo.gl/F3vNlR

“Época”, que foi informada do erro, optou por repeti-lo e foi além: omitiu a resposta do Banco, que declarou que o índice de garantia de 130% previsto no contrato da operação foi superado ao final da construção da usina. Os erros não param por aí: o texto afirma que as taxas cobradas nos empréstimos foram 1,92% e 2,32%, simplesmente omitindo que sobre os créditos incide adicionalmente a Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP). A informação está disponível para consulta por qualquer cidadão em nosso site. Finalmente, a revista omite o fato de a falência do Grupo São Fernando ter sido pedida pelo próprio BNDES, já que a informação contradiz a narrativa falsa de favorecimento ao empresário que “Época” tentou construir em sua reportagem.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247