Bolsonaristas podem se apropriar da Lava Jato, diz sociólogo

O sociólogo Celso Rocha de Barros afirma que a Lava Jato parece estar se deixando usar pelo bolsonarismo fascista de rede social; ele diz: "a força-tarefa da Lava Jato sempre fez política. No começo, o adversário era o PT, onde há mesmo muita gente que gostaria de ter parado a operação. Depois do impeachment, a Lava Jato perdeu a briga para o acordão de Temer e sofreu derrotas sucessivas. Ao menos alguns de seus membros parecem ter visto em Bolsonaro a possibilidade de virar de novo o placar"

Bolsonaristas podem se apropriar da Lava Jato, diz sociólogo
Bolsonaristas podem se apropriar da Lava Jato, diz sociólogo (Foto: José Cruz/Agência Brasil)

247 - O sociólogo Celso Rocha de Barros afirma que a Lava Jato parece estar se deixando usar pelo bolsonarismo fascista de rede social. Ele diz: "a força-tarefa da Lava Jato sempre fez política. No começo, o adversário era o PT, onde há mesmo muita gente que gostaria de ter parado a operação. Depois do impeachment, a Lava Jato perdeu a briga para o acordão de Temer e sofreu derrotas sucessivas. Ao menos alguns de seus membros parecem ter visto em Bolsonaro a possibilidade de virar de novo o placar."

Em sua coluna, publicada no jornal Folha de S. Paulo, Rocha de Barros destaca que "dez dias atrás, o STF resolveu que processos envolvendo caixa dois seriam julgados pela Justiça Eleitoral. A turma da Lava Jato protestou, porque a Justiça Eleitoral não tem estrutura para dar conta desses casos."

E indaga: "Durante a sessão do STF, os bolsonaristas, como sempre fazem, surfaram a onda de indignação popular para transformá-la em ataque à democracia. Subiram a hashtag #Umsoldadoeumcabo, referência ao discurso de Eduardo Bolsonaro defendendo o fechamento do Supremo. Agora me digam, membros da força-tarefa; me diga, Moro: eu devo ir a passeatas com esses caras?"

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247