Bolsonaro está entre os piores negacionistas do planeta, diz Financial Times

O jornal também lembra que, quando o Brasil se tornou o primeiro país do hemisfério sul a atingir mil mortes por coronavírus, no último final de semana, "o presidente de extrema-direita saiu para um passeio em desafio ao isolamento social"

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O jornal inglês Financial Times coloca Jair Bolsonaro entre os líderes mundiais que se negam a adotar medidas drásticas para combater a disseminação do coronavírus. De acordo com a publicação, "Bolsonaro repetidamente tem minimizado o coronavírus, classificando-o como 'histeria' e – ecoando o presidente dos EUA, Donald Trump, – elogiou o medicamento antimalárico hidroxicloroquina como uma possível cura, ordenando que laboratórios militares aumentem sua produção".

De acordo com o jornal, Bolsonaro faz parte do grupo chamado “Aliança do Avestruz”, formado por políticos que se negam reconhecer a gravidade do coronavírus, como Alexander Lukashenko (Bielorússia), Gurbanguly Berdymukhamedov (Turquemenistão), Daniel Ortega (Nicarágua). 

A reportagem lembra que, quando o Brasil se tornou o primeiro país do hemisfério sul a atingir mil mortes por coronavírus, no último final de semana, "o presidente de extrema-direita saiu para um passeio em desafio ao isolamento social". "O ex-capitão do Exército se gaba de que sua habilidade atlética o manterá saudável", diz.

O FT lembra, ainda, que Bolsonaro pediu a reabertura de lojas e criticou os governadores estaduais como "assassinos de empregos" por impor quarentenas. "Mas ele isentou as igrejas dos bloqueios", lembra.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247