Bolsonaro justifica sua defesa da ditadura com apoio da mídia a ela

"Sua trucada do primeiro bloco para constrangimento da bancada de jornalistas foi falar de cor um trecho de editorial de O Globo assinado por Roberto Marinho, que chamou o golpe militar de revolução democrática", aponta reportagem da revista Fórum sobre a participação do deputado no Roda Viva

Bolsonaro justifica sua defesa da ditadura com apoio da mídia a ela
Bolsonaro justifica sua defesa da ditadura com apoio da mídia a ela (Foto: REUTERS/Paulo Whitaker)

Da revista Fórum No primeiro bloco, o pré-candidato a presidente da República Jair Bolsonaro (PSL) foi indagado pela jornalista Maria Cristina Fernandes, de O Valor Econômico, sobre a ditadura militar e sua posição sobre a tortura.

Bolsonaro tergiversou dizendo que o Coronel Ustra não foi condenado e julgado e por isso não poderia ser considerado um criminoso. Ainda disse que muitos que dizem ter sido torturados o fizeram isso pra conseguir votos, poder e indenizações. “Se nós tivéssemos perdido a guerra seríamos uma Cuba”, completou.

Mas a sua trucada do primeiro bloco para constrangimento da bancada de jornalistas foi falar de cor um trecho de editorial de O Globo assinado por Roberto Marinho, que chamou o golpe militar de revolução democrática.

Bolsonaro também lembrou que a TV Globo nasceu em 1965 logo depois do Golpe e a revista Veja em 1968.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247