"Bonito, forte e sem ruídos", diz Míriam Leitão sobre discurso de Lula na ONU

"O Brasil voltou, portanto, ao leito da sua política externa que ficou respeitada no mundo", disse a jornalista sobre o discurso de Lula na abertura da 78ª Assembleia Geral da ONU

Lula na abertura da 78ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU)
Lula na abertura da 78ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) (Foto: Ricardo Stuckert/PR)


Clique aqui para receber notícias do Brasil 247 e da TV 247 no WhatsApp

247 - A jornalista Míriam Leitão qualificou o discurso do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na abertura da 78ª Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) como “bonito, forte e sem ruídos”. “Ele centrou a sua fala na denúncia da desigualdade mostrando que vários problemas da humanidade são resultado dessa desigualdade seja de renda, de poder, de raça e gênero”, destacou ela em sua coluna no jornal O Globo.

Ainda segundo Míriam Leitão, em um momento em que 735 milhões de pessoas sofrem com a fome, Lula pediu que essa realidade não seja considerada normal e destacou os gastos excessivos em armamento, incluindo US$ 881 bilhões em armas nucleares. >>> Leia a íntegra do discurso antológico de Lula na ONU

“Lula resgatou nesses discursos, posições tradicionais do Itamaraty. Só para lembrar essas raízes da diplomacia brasileira, em 1963, o embaixador João Augusto de Araújo Castro, fez um famoso pronunciamento na ONU lançando a ideia dos três D’s, em que ele criticou fortemente os países ricos e defendeu a Descolonização, o Desenvolvimento e o Desarmamento. O Brasil voltou, portanto, ao leito da sua política externa que ficou respeitada no mundo”, ressaltou a jornalista utilizando a frase de Lula que simboliza o retorno do Brasil ao cenário internacional. >>> Vera Magalhães se curva ao discurso antológico de Lula na ONU

continua após o anúncio

A defesa de um lugar no Conselho de Segurança da ONU ganhou destaque, especialmente com a ausência de quatro dos membros permanentes na Assembleia Geral. "A defesa dessa cadeira apareceu não como um capricho ou uma vontade do Brasil, mas uma necessidade de reforma da ONU para que seja mais eficiente no combate a esses problemas globais e como instância para dirimir conflitos. Lembrou que os países membros do conselho de segurança estão travando guerras não autorizadas”, ressaltou. >>> Após Lula e Guterres, Biden também defende reforma do Conselho de Segurança da ONU

Para Mìriam Leitão, Lula - que sucedeu ao presidente de extrema direita Jair Bolsonaro (PL) - acertou no discurso ao afirmar que “esse é um fenômeno global. Ele avaliou que é o fim do neoliberalismo que está alimentando essa extrema direita e que "graças à democracia ele voltou ao governo e, portanto, a retornar àquela Assembleia”, finalizou. >>> "Neoliberalismo agravou a desigualdade e, em meio a seus escombros, surgem aventureiros de extrema direita", afirma Lula na ONU

continua após o anúncio

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

continua após o anúncio

Ao vivo na TV 247

Cortes 247