Boulos critica volta do auxílio-moradia, 'num país em que 7,7 milhões não têm casa'

"Vergonhoso o lobby de procuradores para retomar o auxílio moradia do Judiciário. Num país em que 7,7 milhões de famílias não tem moradia digna, querem voltar a receber o benefício mesmo tendo casa própria e salários de quase R$40 mil. Menos privilégios, mais direitos", criticou o líder do MTST, Guilherme Boulos

Boulos critica volta do auxílio-moradia, 'num país em que 7,7 milhões não têm casa'
Boulos critica volta do auxílio-moradia, 'num país em que 7,7 milhões não têm casa' (Foto: Mídia Ninja)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O líder do MTST, Guilherme Boulos, criticou nesta terça-feira 18 a recriação do auxílio-moradia para magistrados por decisão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), mesmo depois de o Judiciário ter fechado um acordo com o Palácio do Planalto para um reajuste de 16% (leia mais).

"Vergonhoso o lobby de procuradores para retomar o auxílio moradia do Judiciário. Num país em que 7,7 milhões de famílias não tem moradia digna, querem voltar a receber o benefício mesmo tendo casa própria e salários de quase R$40 mil. Menos privilégios, mais direitos", criticou Boulos.

Agora, com a decisão do CNJ, o benefício será pago para a magistratura com novas regras, como a exigência de que o servidor não tenha imóvel na mesma cidade onde trabalhe.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247