Boulos: quando um presidente ironiza ameaças à vida, torna-se co-responsável por elas

O coordenador do MTST , Guilherme Boulos, criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro; o capitão reformado comemorou o fato do deputado federal Jean Wyllys pedir renúncia do seu cargo após sofrer várias ameaças de morte; "Grande dia!", comemorou Bolsonaro; "Quando um Presidente ironiza ameaças à vida de uma pessoa - neste caso de um parlamentar eleito - torna-se co-responsável por elas. Molecagem pura!", condenou

Boulos: quando um presidente ironiza ameaças à vida, torna-se co-responsável por elas
Boulos: quando um presidente ironiza ameaças à vida, torna-se co-responsável por elas
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O coordenador do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST), Guilherme Boulos, criticou a postura do presidente Jair Bolsonaro. O capitão reformado comemorou o fato do deputado federal Jean Wyllys pedir renúncia do seu cargo após ser ameaçado de morte. "Grande dia!", comemorou Bolsonaro. 

"Quando um Presidente ironiza ameaças à vida de uma pessoa - neste caso de um parlamentar eleito - torna-se co-responsável por elas. Estimula agressões covardes. Pior que o tuite irresponsável foi a tentativa de negá-lo acusando a crítica de Fake News. Molecagem pura!", condenou Boulos. 

 

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247