Cafezinho: sonegação da Globo já está na PF

Denúncia de sonegação fiscal de mais de R$ 600 milhões da Rede Globo e posterior sumiço do processo na Receita Federal, pela funcionária Cristina Maris Meinick Ribeiro, foi encaminhada à Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde se encontra agora; serão apurados dois crimes: contra a Ordem Tributária e ocultação de bens  

Denúncia de sonegação fiscal de mais de R$ 600 milhões da Rede Globo e posterior sumiço do processo na Receita Federal, pela funcionária Cristina Maris Meinick Ribeiro, foi encaminhada à Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde se encontra agora; serão apurados dois crimes: contra a Ordem Tributária e ocultação de bens
 
Denúncia de sonegação fiscal de mais de R$ 600 milhões da Rede Globo e posterior sumiço do processo na Receita Federal, pela funcionária Cristina Maris Meinick Ribeiro, foi encaminhada à Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde se encontra agora; serão apurados dois crimes: contra a Ordem Tributária e ocultação de bens   (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Do blog O Cafezinho - A denúncia sobre a sonegação bilionária da Rede Globo, e posterior sumiço do documento da Receita Federal, que o núcleo fluminense do Barão de Itararé, junto com o blog Megacidadania, protocolou no Ministério Público Federal do Rio de Janeiro, seguiu os trâmites internos da instituição e virou o Ofício 13344/2013. O documento foi encaminhado à Superintendência Regional da Polícia Federal no Rio de Janeiro, onde se encontra agora.

A PF apurará dois crimes: 1) contra a Ordem Tributária, que é o crime da sonegação propriamente dita, e que pode envolver evasão de divisas, lavagem de dinheiro e crimes contra o sistema financeiro; e 2) ocultação de bens, diretos ou valores, que corresponde ao misterioso desaparecimento dos documentos originais, nos quais os auditores da Receita decidem pela condenação da Rede Globo pelo crime de sonegação.

Confira o documento:

 

Segundo apurado pelo blog, este ofício está sendo analisado pela Corregedoria da PF, procedimento preliminar à abertura de um inquérito policial. Fontes da própria PF nos informaram que a praxe é que o procedimento seja concluído de 60 a 90 dias. Ou seja, já está atrasado.

O Barão de Itararé, na próxima semana, enviará uma comitiva às dependências da Superintendência da PF-RJ para pressionar pela abertura desse inquérito, no mais curto prazo possível. Iremos lembrar às autoridades da magnitude do valor em questão, e da importância que ele adquire como exemplo contra a sonegação de impostos.

O sonegômetro atualizado esta semana pelo Sindicato Nacional dos Procuradores da Fazenda Nacional (Sinprofaz) deve chegar a R$ 415 bilhões em 2013. Trata-se de uma das maiores chagas nacionais, ainda mais grave que a corrupção, que sangra os cofres públicos em R$ 50 a 80 bilhões por ano.

Abaixo, um fác-símile do protocolo que deu origem ao ofício que está na PF:

 

Para saber mais sobre a sonegação da Globo, clique aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email