Celso Amorim: atos estapafúrdios de Bolsonaro não são cortina de fumaça

O ex-chanceler Celso Amorim afirma que o volume de atos e gestos truculentos de Bolsonaro são extremamente perigosos para o conjunto da sociedade brasileira; ele diz: "quando um presidente participa de uma 'marcha com Jesus' simulando com a mão estar portando uma arma é o próprio sentido do cristianismo que é distorcido"

(Foto: Wilson Dias/Agencia Brasil)

247 - O ex-chanceler Celso Amorim afirma que o volume de atos e gestos truculentos de Bolsonaro são extremamente perigosos para o conjunto da sociedade brasileira. Ele diz: "quando um presidente participa de uma 'marcha com Jesus' simulando com a mão estar portando uma arma é o próprio sentido do cristianismo que é distorcido."

Amorim prossegue: "violência e religião misturam-se de forma perigosa no imaginário coletivo. Cria-se o quadro para impulsionar mudanças legislativas, que promovem o descrédito do Estado como provedor de segurança e a ideia de que a defesa e a justiça devem ser obtidas por meios próprios."

Em artigo publicado na revista Carta Capital, o ex-ministro das Relações Exteriores ainda declara que "há um eixo comum em atitudes tão estapafúrdias como a nomeação de um filho inexperiente e de posições sabidamente extremadas para ser embaixador nos Estados Unidos, a exaltação da posse de armas pela população “para impedir um golpe”, a intenção de extinguir órgãos de apoio à cultura (ou, alternativamente, a censura dos projetos), a decretação do fim das demarcações indígenas e áreas quilombolas e os ataques constantes a homossexuais e outras minorias. Tudo isso acompanhado por posicionamentos em organismos internacionais que se afastam da linha tradicional (e constitucional) de respeito aos direitos humanos e a autodeterminação, entre outros."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247