Chamado de "saúva" e de "pornográfico", Merval reage no Facebook

Criticado na rede social pelo jornalista Luis Costa Pinto, o colunista Merval Pereira, que fala sobre impeachment como quem discute se vai chover, apelou no Facebook; acusou o jornalista de envolvimento no chamado "mensalão"; detalhe: Costa Pinto jamais foi réu no processo e apenas criticou o golpismo escancarado de Merval

Criticado na rede social pelo jornalista Luis Costa Pinto, o colunista Merval Pereira, que fala sobre impeachment como quem discute se vai chover, apelou no Facebook; acusou o jornalista de envolvimento no chamado "mensalão"; detalhe: Costa Pinto jamais foi réu no processo e apenas criticou o golpismo escancarado de Merval
Criticado na rede social pelo jornalista Luis Costa Pinto, o colunista Merval Pereira, que fala sobre impeachment como quem discute se vai chover, apelou no Facebook; acusou o jornalista de envolvimento no chamado "mensalão"; detalhe: Costa Pinto jamais foi réu no processo e apenas criticou o golpismo escancarado de Merval (Foto: Leonardo Attuch)

247 - O artigo de Merval Pereira, no Globo, em que ele aborda os caminhos para o impeachment da presidente reeleita há menos de um mês como se discutisse se vai ou não chover amanhã (leia aqui), deu o que render no Facebook.

O também jornalista Luis Costa Pinto, que passou por redações como Veja e Época, decidiu contestá-lo no post abaixo:

"Não vou fazer link aqui, nem reproduzi-lo em parte ou no todo para os curadores do Facebook não me bloquearem acusando-me de distribuir pornografia na rede, mas o artigo de hoje de Merval Pereira em O Globo é exatamente isso: pornográfico. Antidemocraticamente pornográfico. Insultantemente golpista. O "filósofo" Pereira (sim, ele é membro da Academia Brasileira de Filosofia) parece se lançar por mares nunca dantes navegados e defende como líquido e certo o impeachment de Dilma diferenciando-o do processo de impedimento de Collor e sustentando que dessa vez o vice-presidente tem de ir junto.

Esquece Pereira, antípoda do personagem de Afirma Pereira, personagem de um dos melhores romances do italiano Antonio Tabucchi, que no Estado Democrático de Direito é necessário processo, amplo direito de defesa, ao menos duplo grau de jurisdição e irrecorrível e ampla publicidade do andamento processual.

Para ele, segundo o texto quadrúpede que publica hoje, pegamos a Lei do Impedimento de 1950, cruzamos com a Constituição de 1988, excluímos o exemplo de 1992 que deu posse a Itamar e produzimos o impeachment de Dilma e de Temer e lançamos Lula para responder a processos na Justiça de Primeiro Grau. Donde se depreende que Merval Pereira, o filósofo, é desde já o primeiro candidato a ministro do Supremo Tribunal Federal num eventual governo surgido na esteira do golpe que propõe. É um espanto. O que sobra de Pereira em O Globo de hoje é uma reflexão Lobatiana: ou o Brasil acaba com as saúvas, ou as saúvas acabam com o Brasil. Em tempo, mas sem desenhar: Merval é uma saúva."

Merval, no entanto, reagiu e acusou Costa Pinto de envolvimento no chamado "mensalão". Ex-assessor de João Paulo Cunha, Costa Pinto jamais foi réu em qualquer processo.

Eis o que disse Merval:

  • Merval Pereira Luis Costa pinto é aquele ex-jornalista que esteve envolvido no mensalão junto com o Joào Paulo Cunha? Ah, sei do que se trata...
    14 h · 
E a resposta de Costa Pinto:
  • Luís Costa Pinto Não, Merval Pereira, você é um bandoleiro das jornalagens - indevidamente envolvido em meio às acusações do mensalão, vi o Supremo Tribunal Federal, em meio a um julgamento público e republicano, considerar improcedente a acusação a João Paulo Cunha no que tangia aos serviços que minha empresa prestou à agência que atendia à Câmara dos Deputados no período em que ele a presidiu. João Paulo Cunha foi, em minha opinião, condenado naquilo que não conseguiu explicar ou responder, e absolvido em relação à acusação acerca da qual não havia prova que sustentasse o lado da promotoria. Apego às instituições é assim: a gente respeita o veredito da Justiça, sobretudo quando é proferido pela Corte Suprema. Se resta algo de jornalista em sua alma militante você ainda deve ter um pouco de apego aos fatos e pode checar isso. Mas, se prefere envergar apenas o manto de verdugo (de argumentos ralos, de dedo mole, mas verdugo), então esqueça os fatos. Que bom que você veio para esse debate, Merval. É bem vindo, porque aqui haverá sempre contestação a seus argumentos falaciosos, às vezes falsos. Aqui haverá sempre o contraditório a ser feito às suas indignações seletivas - e não sei se a seleção que você faz é devido a desconhecimento, a preguiça de apurar, à mente torta ou è decorrência de seu desapego ao papel histórico. Merval, fique nessa arena, porque será enriquecedora para você - mais do que discursos monocórdios proferidos para plateias predispostas a aplaudi-lo. Ok?

A polêmica acabou retratada, também, no Diário do Centro do Mundo:

O jornalista Luís Costa Pinto escreveu, no Facebook, um texto em que classifica de ‘pornográfico’ o artigo de Merval Pereira no Globo desta terça.

A pornografia, segundo Pinto, está no ‘golpismo’ de Merval.

Travou-se um debate animado, em que alguns apoiaram Merval e muitos concordaram com as críticas.

Mas o melhor momento da discussão foi quando o próprio Merval, para defender sua reputação, entrou na conversa. Ele acusou Luís Costa Pinto de envolvimento no Mensalão.

Faz parte da cultura da Globo acompanhar tudo que se escreve sobre ela — e responder às críticas. Semanas atrás, Ali Kamel bateu boca com um colunista de mídia da Folha que acusara a Globo de amarelar na cobertura das acusações da Veja no caso Petrobras às vésperas das eleições.

O que ninguém imaginava é que, pelo menos no caso de Merval, a vigilância se estendesse até uma mera nota no Facebook.



Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247