Clovis Rossi: preocupa o avanço da selvageria no Brasil

Jornalista Clovis Rossi analisou neste domingo, 24, pesquisa do instituto Pew Center, dos Estados Unidos, que mostra que quase oito de cada dez filipinos (78% exatamente) aprovam a licença para matar acusados ou suspeitos de tráfico/consumo de drogas concedida pelo presidente Rodrigo Duterte; para Rossi, há dois fatores que recomendam preocupar-se com o avanço da selvageria. "Primeiro, o agravamento notório da situação de segurança pública no país em geral e mais particularmente no Rio de Janeiro, a grande vitrine do Brasil para o bem e, neste caso, para o mal. Segundo fator, o surgimento e o crescimento de um pré-candidato, Jair Bolsonaro, com um discurso similar ao de Duterte" 

Jornalista Clovis Rossi analisou neste domingo, 24, pesquisa do instituto Pew Center, dos Estados Unidos, que mostra que quase oito de cada dez filipinos (78% exatamente) aprovam a licença para matar acusados ou suspeitos de tráfico/consumo de drogas concedida pelo presidente Rodrigo Duterte; para Rossi, há dois fatores que recomendam preocupar-se com o avanço da selvageria. "Primeiro, o agravamento notório da situação de segurança pública no país em geral e mais particularmente no Rio de Janeiro, a grande vitrine do Brasil para o bem e, neste caso, para o mal. Segundo fator, o surgimento e o crescimento de um pré-candidato, Jair Bolsonaro, com um discurso similar ao de Duterte" 
Jornalista Clovis Rossi analisou neste domingo, 24, pesquisa do instituto Pew Center, dos Estados Unidos, que mostra que quase oito de cada dez filipinos (78% exatamente) aprovam a licença para matar acusados ou suspeitos de tráfico/consumo de drogas concedida pelo presidente Rodrigo Duterte; para Rossi, há dois fatores que recomendam preocupar-se com o avanço da selvageria. "Primeiro, o agravamento notório da situação de segurança pública no país em geral e mais particularmente no Rio de Janeiro, a grande vitrine do Brasil para o bem e, neste caso, para o mal. Segundo fator, o surgimento e o crescimento de um pré-candidato, Jair Bolsonaro, com um discurso similar ao de Duterte"  (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Clovis Rossi analisou neste domingo, 24, pesquisa do instituto Pew Center, dos Estados Unidos, que mostra que quase oito de cada dez filipinos (78% exatamente) aprovam a licença para matar acusados ou suspeitos de tráfico/consumo de drogas concedida pelo presidente Rodrigo Duterte.

Duterte que autorizaria o assassinato até de seu filho, Paolo "Pulong" Duterte, 42 anos, se for verdadeira a denúncia de um deputado oposicionista de que ele está envolvido com drogas. Em discurso na quarta-feira (20) aos funcionários do palácio governamental, Duterte contou que dissera ao filho: "Minha ordem é para matá-lo se você for apanhado. E eu protegerei os policiais que executarem a ordem, se for verdadeira [a acusação]".

"Meu receio é o de que esse tipo de selvageria encontre apoio em outras latitudes, no Brasil, por exemplo. O caos que está instalado no Rio de Janeiro e o fato de que o Estado está perdendo a guerra contra o narcotráfico só podem estimular a pregação de que 'bandido bom é bandido morto'", disse Rossi. 

"Já é preocupante o fato de que 60% dos adultos brasileiros disseram concordar, em pesquisa recente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, com a frase 'a maioria de nossos problemas sociais estaria resolvida se pudéssemos nos livrar das pessoas imorais, dos marginais e dos pervertidos'", diz o colunista da Folha de S. Paulo. 

Para Clovis Rossi, há dois fatores que recomendam preocupar-se com o avanço da selvageria. "Primeiro, o agravamento notório da situação de segurança pública no país em geral e mais particularmente no Rio de Janeiro, a grande vitrine do Brasil para o bem e, neste caso, para o mal. Segundo fator, o surgimento e o crescimento de um pré-candidato, Jair Bolsonaro, com um discurso similar ao de Duterte".

Leia o texto na íntegra

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247