CNN se nega a veicular propaganda de Bolsonaro que nega destruição da Amazônia

CNN Internacional recusou a veicular uma propaganda do governo Jair Bolsonaro que nega o aumento das queimadas na Amazônia alegando que pretende se proteger de reações legais e políticas por conta da repercussão gerada pelos incêndios. Para o secretário da Secom, Fábio Wajngarten, a decisão é uma "censura por parte da CNN internacional, emissora que se diz a favor da democracia"

(Foto: Reprodução)

247 - A CNN Internacional recusou a veicular uma propaganda do governo Jair Bolsonaro que nega o aumento das queimadas na Amazônia alegando que pretende se proteger de reações legais e políticas por conta da repercussão gerada pelos incêndios. Segundo reportagem da Folha de S. Paulo a emissora considerou que a peça publicitária possui viés político por usar a palavra “soberania” na propaganda. Para o secretário da Secom, Fábio Wajngarten, a decisão é uma "censura por parte da CNN internacional, emissora que se diz a favor da democracia".

Ainda segundo ele, a decisão da CNN engloba a restrição apenas à sua programação na Europa e em outros continentes, devendo ser liberada para os Estad0s Unidos e o Brasil.

Decisão da emissora vem na esteira do atrito gerado pelas críticas do presidente da França, Emmanuel Macron, que há duas semanas condenou as queimadas na Amazônia e responsabilizou o governo Bolsonaro pelo aumento dos focos de incêndios na região. 

Bolsonaro reagiu com ataques pessoais e acusou Macron de querer interferir na “soberania nacional”.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247