Com esposa de Lula em coma, DCM recomenda sobriedade ao delegado da Lava Jato

"Se parece demais pedir um pouco de sobriedade e discrição aos homens da Lava Jato num momento em que a mulher de Lula está em coma induzido por causa de um AVC, eles podiam ao menos fingir que são organizados e eficientes como aparecem nos quadrinhos de super herois", diz Kiko Nogueira, diretor do DCM; "Ficamos assim: o freguês quer ouvir que Lula vai em cana hoje? Nós temos. É pra deixar mais pra frente? Temos, também. Quem vai entregar essa rapadura? Vamos ver quem está disponível"

Igor Rom·rio de Paula, delegado de Crimes EconÙmicos e Ordem Fiscal; Rosalvo Ferreira Santos, superintendente regional da PolÌcia Federal; e Carlos Fernando dos Santos Lima
Igor Rom·rio de Paula, delegado de Crimes EconÙmicos e Ordem Fiscal; Rosalvo Ferreira Santos, superintendente regional da PolÌcia Federal; e Carlos Fernando dos Santos Lima (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O jornalista Kiko Nogueira, diretor-adjunto do DCM, criticou o delegado Igor Romário de Paula, da Polícia Federal, que, nesta sexta-feira, afirmou que o ex-presidente Lula pode ser preso em até 60 dias (leia aqui).

"Se parece demais pedir um pouco de sobriedade e discrição aos homens da Lava Jato num momento em que a mulher de Lula está em coma induzido por causa de um AVC, eles podiam ao menos fingir que são organizados e eficientes como aparecem nos quadrinhos de super herois", escreveu Kiko.

"Igor, que coordena a força tarefa, não consegue sugerir a seus comandados que mantenham o silêncio ou que falem a mesma coisa em hora marcada. E conversam publicamente sobre um evento dessa gravidade como se fosse a rodada do Brasileirão ou se Neymar voltou com Bruna Marquezine", afirma.

"Ficamos assim: o freguês quer ouvir que Lula vai em cana hoje? Nós temos. É pra deixar mais pra frente? Temos, também. Quem vai entregar essa rapadura? Vamos ver quem está disponível."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247