Damous alerta para o fato de que Fachin pode estar gravemente pressionado

Em entrevista ao jornal GGN, o deputado federal pelo PT-RJ, Wadih Damous classificou o comportamento do ministro Edson Fachin, no Supremo Tribunal Federal, como "inacreditável", e afirmou que "a pergunta que não quer calar é: por que [Fachin mudou da água para o vinho]? A que pressões foi submetido Fachin para se tornar uma figura tão patética, trêfega na condução da Lava Jato?"

Brasília - O deputado Wadih Damous fala à imprensa após reunião do Diretório Nacional do PT sobre manifestações de apoio ao governo (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O deputado Wadih Damous fala à imprensa após reunião do Diretório Nacional do PT sobre manifestações de apoio ao governo (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Gustavo Conde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Em entrevista ao jornal GGN, o deputado federal pelo PT-RJ, Wadih Damous classificou o comportamento do ministro Edson Fachin, no Supremo Tribunal Federal, como "inacreditável", e afirmou que "a pergunta que não quer calar é: por que [Fachin mudou da água para o vinho]? A que pressões foi submetido Fachin para se tornar uma figura tão patética, trêfega na condução da Lava Jato?". 

“Damous admitiu na entrevista que apoiou a indicação de Fachin ao Supremo durante o governo Dilma Rousseff. Ele afirmou que foi procurado pelo MST para ajudar na campanha do então advogado paranaense. "O MST apoiou o Fachin e tinha por que apoiar. Fachin era advogado do MST", destacou Damous, afirmando que se enganou com o "outro lado" do ministro: o que foi apoiado veladamente pela JBS. 

‘Ainda que ele tenha mudado da noite para o dia a sua visão de mundo, a forma como ele age é estarrecedor’, disse Damous.”

Leia mais aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247