DCM: “Alexandre Garcia é um fenômeno de tagarelice nonsense”

"Essa fórmula para explicar os males do planeta apontando o dedo para o 'lulodilmismo', usada à farta também por sua colega Miriam Leitão, serve apenas para expor a falta de argumentos e o oportunismo do cidadão. O velho Alexandre entrou nesse trenzinho faz tempo e nunca mais vai desembarcar", diz o editor do DCM, Kiko Nogueira, sobre a declaração do comentarista da Globo 

"Essa fórmula para explicar os males do planeta apontando o dedo para o 'lulodilmismo', usada à farta também por sua colega Miriam Leitão, serve apenas para expor a falta de argumentos e o oportunismo do cidadão. O velho Alexandre entrou nesse trenzinho faz tempo e nunca mais vai desembarcar", diz o editor do DCM, Kiko Nogueira, sobre a declaração do comentarista da Globo 
"Essa fórmula para explicar os males do planeta apontando o dedo para o 'lulodilmismo', usada à farta também por sua colega Miriam Leitão, serve apenas para expor a falta de argumentos e o oportunismo do cidadão. O velho Alexandre entrou nesse trenzinho faz tempo e nunca mais vai desembarcar", diz o editor do DCM, Kiko Nogueira, sobre a declaração do comentarista da Globo  (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Alexandre Garcia é um fenômeno de tagarelice nonsense", define o jornalista Kiko Nogueira, editor do Diário do Centro do Mundo, ao comentar sobre a declaração do comentarista da Globo, que culpou os governos de Lula e Dilma Rousseff pelo caos no País instalado pela política de reajuste de preços dos combustíveis por Michel Temer e Pedro Parente. 

Kiko Nogueira lembrou que, apesar de sua tagarelice nas redes, Alexandre Garcia se calou quando apareceu o documento da CIA dando conta que que Ernesto Geisel e João Figueiredo autorizaram a "execução sumária" de presos políticos na ditadura. Garcia foi assessor de Figueiredo. 

"'Todo o mundo' comprou muito nos anos Lula. Não só caminhão, evidentemente, porque a economia crescia. Alexandre não mencionou uma megalomania dos militares chamada Transamazônica — que deixou como um dos legados o extermínio de tribos indígenas inteiras", diz Nogueira. 

"Essa fórmula para explicar os males do planeta apontando o dedo para o 'lulodilmismo', usada à farta também por sua colega Miriam Leitão, serve apenas para expor a falta de argumentos e o oportunismo do cidadão. O velho Alexandre entrou nesse trenzinho faz tempo e nunca mais vai desembarcar", diz ele. 

Leia o texto na íntegra no DCM

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247