DCM: Bolsonaro age como se fosse virgem no bordel

Jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, comentou a informação de que o nome do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) consta na chamada Lista de Furnas, como destinatário de R$ 50 mil; "Bolsonaro age como se fosse uma virgem no bordel. Ele era do Partido Progressista, o que mais aparecia, proporcionalmente, nas investigações da Lava Jato — mas sua campanha era irrigada com boas vibrações do espírito santo. Na semana passada, a Justiça declarou o bloqueio de meio bilhão de reais do PP", afirma

Jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, comentou a informação de que o nome do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) consta na chamada Lista de Furnas, como destinatário de R$ 50 mil; "Bolsonaro age como se fosse uma virgem no bordel. Ele era do Partido Progressista, o que mais aparecia, proporcionalmente, nas investigações da Lava Jato — mas sua campanha era irrigada com boas vibrações do espírito santo. Na semana passada, a Justiça declarou o bloqueio de meio bilhão de reais do PP", afirma
Jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo, comentou a informação de que o nome do deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ) consta na chamada Lista de Furnas, como destinatário de R$ 50 mil; "Bolsonaro age como se fosse uma virgem no bordel. Ele era do Partido Progressista, o que mais aparecia, proporcionalmente, nas investigações da Lava Jato — mas sua campanha era irrigada com boas vibrações do espírito santo. Na semana passada, a Justiça declarou o bloqueio de meio bilhão de reais do PP", afirma (Foto: Aquiles Lins)

247 - O jornalista Kiko Nogueira, do Diário do Centro do Mundo (DCM), comentou a informação de que o nome do deputado federal Jair Bolsonaro (PSC-RJ) consta na chamada Lista de Furnas, dinheiro de caixa 2 que abasteceu 156 campanhas em 2000. Bolsonaro aparece como destinatário de R$ 50 mil.

O caso foi reaberto e além do presidenciável do PSC, a lista traz também doações ilegais a tucanos como Aécio Neves, José Serra e Geraldo Alckmin.

"Em 2015, Bolsonaro acusou na Câmara que 'os canalhas ligados ao PT e PSOL' forjaram o documento. É a mesma argumentação de Aécio Neves, que apenas tira o PSOL", afirma Nogueira. 

"Bolsonaro age como se fosse uma virgem no bordel. Ele era do Partido Progressista, o que mais aparecia, proporcionalmente, nas investigações da Lava Jato — mas sua campanha era irrigada com boas vibrações do espírito santo. Na semana passada, a Justiça declarou o bloqueio de meio bilhão de reais do PP", afirma. 

"Acabou migrando para o PSC, ninho de pastores evangélicos. Um deles, Everaldo, o presidente, pediu dinheiro a Cunha, segundo a PF. Depois de se desentender com a liderança do PSC, JB já avisou que vai sair — juntamente com o amigão Marco Feliciano, que pretende ser vice na chapa para a presidência em 2018". 

Leia na íntegra o artigo de Kiko Nogueira. 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247