DCM: lei anticorrupção só será real quando um tucano for preso

"Só vou acreditar nessa lei quando um tucano graúdo for preso, por exemplo. Na Lava Jato, o único líder do PSDB realmente em situação complicada é um cadáver", diz o jornalista Paulo Nogueira, editor do DCM

"Só vou acreditar nessa lei quando um tucano graúdo for preso, por exemplo. Na Lava Jato, o único líder do PSDB realmente em situação complicada é um cadáver", diz o jornalista Paulo Nogueira, editor do DCM
"Só vou acreditar nessa lei quando um tucano graúdo for preso, por exemplo. Na Lava Jato, o único líder do PSDB realmente em situação complicada é um cadáver", diz o jornalista Paulo Nogueira, editor do DCM (Foto: Leonardo Attuch)

Por Paulo Nogueira, no DCM

Montaigne conta, num de seus ensaios, que dois candidatos a um posto na Grécia Antiga debatiam publicamente.

Um deles fez um discurso longo, minucioso. Quando a palavra foi para o outro este, laconicamente, afirmou: “Vou fazer as coisas que ele disse.”

Ganhou.

As pessoas queriam menos palavras e mais movimento, mais ação.

É mais ou menos este meu sentimento diante da Lei da Corrupção apresentada, dias atrás, pelo governo.

Eu diria: o foco agora deveriam ser as ações, muito mais que as palavras.

Só vou acreditar nessa lei quando um tucano graúdo for preso, por exemplo.

Na Lava Jato, o único líder do PSDB realmente em situação complicada é um cadáver.

Há poderosas evidências de que o ex-presidente do partido, Sérgio Guerra, levou 10 milhões de reais para bloquear uma CPI da Petrobras, alguns anos atrás.

Se o presidente de um partido é seu símbolo máximo, eis aí um retrato pouco edificante do PSDB.

(leia a íntegra no DCM)

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247