“Derrota do Planalto na Câmara acende luz amarela”

Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, o motivo do alerta não é "exatamente pelo estrago provocado pelo eventual atraso na tramitação da proposta, mas sobretudo pela sinalização e pelo precedente que se abriu"; ela acredita que pode haver o "dedo do onipresente Eduardo Cunha na derrota"; "Seria uma forma de o presidente afastado da Câmara mostrar que ainda pode estragar tudo para o governo se não receber sua ajuda", diz

Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, o motivo do alerta não é "exatamente pelo estrago provocado pelo eventual atraso na tramitação da proposta, mas sobretudo pela sinalização e pelo precedente que se abriu"; ela acredita que pode haver o "dedo do onipresente Eduardo Cunha na derrota"; "Seria uma forma de o presidente afastado da Câmara mostrar que ainda pode estragar tudo para o governo se não receber sua ajuda", diz
Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, o motivo do alerta não é "exatamente pelo estrago provocado pelo eventual atraso na tramitação da proposta, mas sobretudo pela sinalização e pelo precedente que se abriu"; ela acredita que pode haver o "dedo do onipresente Eduardo Cunha na derrota"; "Seria uma forma de o presidente afastado da Câmara mostrar que ainda pode estragar tudo para o governo se não receber sua ajuda", diz (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Para a jornalista Helena Chagas, do site Os Divergentes, "a primeira derrota legislativa do governo Temer, que não conseguiu aprovar urgência para o projeto de renegociação das dívidas dos estados, acendeu a luz amarela entre aliados do Planalto".

O motivo do alerta não é "exatamente pelo estrago provocado pelo eventual atraso na tramitação da proposta, mas sobretudo pela sinalização e pelo precedente que se abriu", acredita a jornalista. "Para os articuladores do Planalto o episódio seria um acidente de percurso sem maiores prejuízos adiante, e o projeto poderia voltar a andar com celeridade se alguns parafusos forem apertados. Só que pode não ser bem assim", diz.

"Destaca-se a falta de votos no PMDB, partido de Michel Temer, e há quem veja o dedo do onipresente Eduardo Cunha na derrota. Seria uma forma de o presidente afastado da Câmara mostrar que ainda pode estragar tudo para o governo se não receber sua ajuda", afirma.

Leia aqui.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247