'É perda de tempo esperar um Bolsonaro menos radical em 2022', diz Bernardo Mello Franco

"Até outubro, ele fabricará muitos conflitos para atiçar a tropa e desviar a atenção de problemas reais", afirma o jornalista

www.brasil247.com - Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News

247 - O jornalista Bernardo Mello Franco observa que Jair Bolsonaro voltou das férias prolongadas “com o radicalismo de sempre. Em uma semana na capital, já atacou o Supremo, o Congresso, os governadores e o diretor da Anvisa, que ele mesmo nomeou”. “É perda de tempo esperar um Bolsonaro menos radical em 2022”, destaca ele em sua coluna no jornal O Globo.

“O capitão se elegeu com discurso, figurino e plataforma de extremista. Agora depende das mesmas armas para se manter vivo no jogo. A cartinha de Michel Temer já ficou para trás. Até outubro, ele fabricará muitos conflitos para atiçar a tropa e desviar a atenção de problemas reais, como a inflação e o desemprego”, diz Mello Franco. 

“Bolsonaro sabe que não será fácil bancar o outsider depois de quatro anos no poder. Na entrevista de quarta, ele cometeu um ato falho e violou uma regra básica da política: um candidato jamais admite a hipótese de ser derrotado. ‘Nós estamos conversando aqui, mas com o Lula presidente, podemos não mais conversar. Você como repórter, eu como ex-presidente…’, escorregou, antes de agitar o espantalho do ‘controle da mídia’ contra o rival”, finaliza o jornalista. 

PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista: 

 

PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

PUBLICIDADE

Cortes 247

PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email