Eduardo Bolsonaro chama Black Lives Matter de “movimento terrorista” e culpa homem negro morto pela polícia

O deputado Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, usou suas redes sociais para atacar o movimento antirracista Black Lives Metter, chamado por ele de “movimento terrorista Black Lives Mattar”. Eduardo compartilhou teorias da conspiração sobre a morte de George Floyd, que teria supostamente acontecido por overdose

Eduardo Bolsonaro e protesto Black Lives Matter
Eduardo Bolsonaro e protesto Black Lives Matter (Foto: Najara Araújo/Câmara dos Deputados | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho de Jair Bolsonaro, usou suas redes sociais na manhã desta quinta-feira (27) para atacar o movimento antirracista Black Lives Metter, chamado por ele de “movimento terrorista Black Lives Mattar”. Ele compartilhou teorias da conspiração sobre a morte de George Floyd, homem negro de 46 anos que foi asfixiado por policial branco até a morte no município de Minneapolis, do estado de Minnesota, nos Estados Unidos, atribuindo a culpa à vítima do caso.

Eduardo compartilhou uma série de tuites que apresentam a versão do advogado de um dos policiais cúmplices na morte de George Floyd. A causa da morte, na postagem, seria overdose. No entanto, as gravações mostram o homem negro sendo asfixiado por 8 minutos enquanto grita “não consigo respirar”. 

“Atenção para esta thread, que revela mais informações sobre a morte de George Floyd (fato que serviu de desculpa para o movimento terrorista Black Lives Mattar iniciar sua onda de destruição dos EUA) ”, publicou Eduardo no Twitter.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247