Facebook conclui que não conseguiu conter divulgação em massa de fake news nas eleições que elegeram Bolsonaro

Relatórios do Facebook publicados nesta sexta-feira (30) pelo jornal norte-americano "The Wall Street Journal" mostram que o Facebook não conseguiu identificar comportamentos suspeitos e a divulgação de fake news durante a eleição brasileira de 2018, inclusive de um grupo de direita que apoiava Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro durante a campanha de 2018, reconhecida pelo próprio Facebook pela imensa incidência de fakenews.
Jair Bolsonaro durante a campanha de 2018, reconhecida pelo próprio Facebook pela imensa incidência de fakenews.

247 - De acordo com relatórios do Facebook obtidos e publicados nesta sexta-feira (30) pelo jornal norte-americano "The Wall Street Journal", o Facebook não conseguiu identificar comportamentos suspeitos e a divulgação de fake news em grande escala na rede social durante a eleição brasileira de 2018, informa O Globo.

Entre os achados dos relatórios, está a "descoberta de um grupo de direita que apoiava Jair Bolsonaro e encorajava os seguidores no Facebook a usar uma ferramenta externa, que permitia ao grupo publicar informação duas vezes por dia nos perfis dos seguidores", diz a reportagem.

O documento mostra que o Facebook desconhecia o fato até ser alertado por jornalistas e, mesmo assim, não conseguiu determinar qual o alcance dessa ação porque não tinha ferramentas para uma "detecção proativa".

Fake news sobre Marielle Franco

Também segundo os relatórios, o Facebook demorou quatro meses para desmantelar uma rede que espalhava desinformação sobre Marielle Franco após o assassinato da vereadora, em março de 2018, pois "não foi capaz de descobrir e identificar comportamento suspeito ou desinformação em grande escala após o assassinato da vereadora", informa a reportagem.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247