Falcão: PT segue atuando para regular mídia

Segundo o presidente do partido, é um direito do governo não enviar o projeto por conta da correlação de forças, mas sigla vai se associar às entidades que estão querendo convencer a sociedade de que esse marco é necessário; ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, declarou que acha "incompreensível" que o partido misture regulação da mídia com investimentos

Falcão: PT segue atuando para regular mídia
Falcão: PT segue atuando para regular mídia
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – A questão do marco regulatório da mídia tem desgastado a relação do PT com o Planalto. O presidente do PT, deputado Rui Falcão, reconheceu ontem que o governo federal não vai mais tocar no assunto até o fim do mandato da presidente Dilma Rousseff.

Segundo a Folha, Falcão afirmou que é "um direito do governo" não enviar o projeto por conta da "correlação de forças". "Mas o partido, como é diferente do governo, vai se associar às entidades que estão querendo convencer a sociedade de que esse marco é necessário. Tenho a expectativa de que vai acabar saindo."

Nesta quinta-feira, o membro da direção nacional do PT, Valter Pomar criticou as declarações do ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que acha "incompreensível" que o partido misture regulação da mídia com investimentos. O ministro petista repudiou um marco regulatório para jornais e revistas.

"Se coubesse adotar o termo 'incompreensível' utilizado pelo ministro, poderíamos dizer que incompreensível é postergar para um futuro incerto o marco regulatório", criticou o dirigente petista.

No início do mês, uma resolução do diretório nacional petista pedia a Dilma que revisse a decisão de adiar o envio de projeto sobre o tema ao Legislativo. No governo Lula, o ex-ministro da Comunicação Social Franklin Martins elaborou um projeto, mas Dilma decidiu não levar o debate para frente.

O jornalista Breno Altman, por sua vez, publicou duro artigo defendendo que o PT exigisse a cabeça do ministro Paulo Bernardo (leia mais aqui). 

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email