Financial Times: Boris Johnson violou a democracia ao suspender Parlamento

"Boris Johnson detonou uma bomba sob o aparato constitucional do Reino Unido", afirma o jornal britânico Financial Times em editorial. De acordo com a publicação, "o pedido do primeiro-ministro à rainha Elizabeth 2ª para suspender o Parlamento por até cinco semanas, ostensivamente para preparar um novo programa legislativo, não tem precedente moderno"

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - "Boris Johnson detonou uma bomba sob o aparato constitucional do Reino Unido", afirma o jornal britânico Financial Times em editorial. De acordo com a publicação, "o pedido do primeiro-ministro à rainha Elizabeth 2ª para suspender o Parlamento por até cinco semanas, ostensivamente para preparar um novo programa legislativo, não tem precedente moderno".

"É uma tentativa intolerável de silenciar o Parlamento até que ele não possa mais impedir uma saída desastrosa do Reino Unido da União Europeia em 31 de outubro", continua.

Segundo a matéria, "é hora de os parlamentares derrubarem seu governo em um voto de desconfiança, abrindo caminho para uma eleição na qual a população possa expressar sua vontade".

"O governo representativo da Grã-Bretanha é um exercício de democracia deliberativa que envolve discussão, negociação e concessões inevitáveis. Ele atribui aos parlamentares o poder de tomar decisões em nome dos eleitores e permite que eles deliberem sobre questões minuciosas —e, no caso do brexit, a cisão mais complexa na história do pós-guerra, detalhes importam", complementa. 



Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247