Financista prevê: Temer terá um fim ainda pior que o de Cunha

Em artigo publicado no Diário do Centro do Mundo, o economista Carlos Fernandes diz que "a única coisa mais afrontosa que Eduardo Cunha na presidência da Câmara é, sem dúvidas, Michel Temer na presidência da República"; "Se ainda resta a Cunha o discurso de ter chegado à presidência da Câmara pela via dos votos, nem isso Temer pode alegar. A ilegalidade de sua presidência é ainda mais aviltante e se aprofunda à medida que se aprofunda a ruína de quem deu início a tudo isso", afirma

Em artigo publicado no Diário do Centro do Mundo, o economista Carlos Fernandes diz que "a única coisa mais afrontosa que Eduardo Cunha na presidência da Câmara é, sem dúvidas, Michel Temer na presidência da República"; "Se ainda resta a Cunha o discurso de ter chegado à presidência da Câmara pela via dos votos, nem isso Temer pode alegar. A ilegalidade de sua presidência é ainda mais aviltante e se aprofunda à medida que se aprofunda a ruína de quem deu início a tudo isso", afirma
Em artigo publicado no Diário do Centro do Mundo, o economista Carlos Fernandes diz que "a única coisa mais afrontosa que Eduardo Cunha na presidência da Câmara é, sem dúvidas, Michel Temer na presidência da República"; "Se ainda resta a Cunha o discurso de ter chegado à presidência da Câmara pela via dos votos, nem isso Temer pode alegar. A ilegalidade de sua presidência é ainda mais aviltante e se aprofunda à medida que se aprofunda a ruína de quem deu início a tudo isso", afirma (Foto: Gisele Federicce)

247 – Em um artigo publicado no Diário do Centro do Mundo, o economista Carlos Fernandes prevê que o presidente interino, Michel Temer, terá um fim ainda pior que o de Eduardo Cunha, que anunciou ontem sua renúncia à presidência da Câmara. "A única coisa mais afrontosa que Eduardo Cunha na presidência da Câmara é, sem dúvidas, Michel Temer na presidência da República", diz ele.

Para Fernandes, "se ainda resta a Cunha o discurso de ter chegado à presidência da Câmara pela via dos votos, nem isso Temer pode alegar. A ilegalidade de sua presidência é ainda mais aviltante e se aprofunda à medida que se aprofunda a ruína de quem deu início a tudo isso".

"Humilhado, Eduardo Cunha saiu da presidência que tanto sonhou através de uma carta de renúncia ridícula que nada mais fez do que retratar toda a tragédia que foi a sua gestão. Michel Temer terá, independente do que aconteça no Senado, um desfecho ainda pior", conclui.

Leia aqui a íntegra.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247