Glenn atribui ameaças a Felipe Neto ao clima fascista do bolsonarismo

"Isso aconteceu repetidamente com pessoas consideradas pelo movimento Bolsonaro como inimigas: uma clima fascista", escreveu o jornalista do Intercept, Glenn Greenwald, sobre as ameaças recebidas por Felipe Neto depois que o Youtuber distribuiu livros LGBT na Bienal do Rio

247 - O jornalista Glenn Greenwald, editor do site The Intercept, atribuiu as ameaças que o Youtuber Felipe Neto vem recebendo após ter distribuído livros com temática LGBT na Bienal do Livro do Rio de Janeiro ao "clima fascista" criado por apoiadores de Jair Bolsonaro.

"Isso aconteceu repetidamente com pessoas consideradas pelo movimento Bolsonaro como inimigas: uma clima fascista", opinou Greenwald, citando exemplos como a movimentação para tentar interromper um evento em Paraty em que ele participava e o cancelamento de um evento por Miriam Leitão após protestos contra a jornalista.

Felipe Neto acionou a polícia e informou que tirou a sua mãe do Brasil por causa das ameaçadas. Sua ação na Bienal do Rio, onde distribuiu 14 mil livros sobre o público LGBT, foi uma resposta à tentativa de censura por parte do prefeito Marcelo Crivella. "Já tirei minha mãe do Brasil e estou vivendo com o mínimo possível de exposição", disse o Youtuber.

Ele também também cancelou sua participação no evento Educação 360, em palestra que daria nesta na terça-feira (17), alegando exposição e "risco iminente".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247