Glenn chama de ultraje deputado do PSL que espalhou fake news sobre Felipe Neto

"A ironia de Carlos Jordy - de todas as pessoas - liderar um tipo de cruzada moral pública e tentar atingir alguém em nome da moralidade é demais. Nem consigo imaginar a dor de estômago das pessoas em Niterói tentando segurar as risadas sobre esse ultraje", comentou o jornalista do Intercept

247 - O jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept, chamou de "ultraje" a ofensiva do deputado do PSL Carlos Jordy contra Felipe Neto. Jordy publicou nas redes sociais uma fake news contra o Youtuber, que neste final de semana distribuiu de graça 14 mil livros com temática LGBT na Bienal do Livro do Rio de Janeiro, em protesto contra a censura do prefeito Marcelo Crivella.

"A ironia de Carlos Jordy - de todas as pessoas - liderar um tipo de cruzada moral pública e tentar atingir alguém em nome da moralidade é demais. Nem consigo imaginar a dor de estômago das pessoas em Niterói tentando segurar as risadas sobre esse ultraje", comentou Greenwald.

Após um processo de Felipe Neto, o juiz Arthur Eduardo Magalhães Ferreira, da 1ª Vara Cível da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, determinou que o Twitter apague a postagem do deputado bolsonarista, que liga o Youtuber ao massacre em uma escola de Suzano, em São Paulo.

"É inacreditável que o partido político do Presidente da República trave guerras digitais contra simples influenciadores. O Brasil precisando de ação de trabalho, mas os parlamentares só querem saber de Twitter.  Isso só me dá mais força pra seguir na luta contra a opressão", comentou o próprio Felipe Neto.

Glenn Greenwald fez ainda uma dura crítica ao PSL: "Esse movimento e as táticas que eles usam são lixo puro. Todo mundo decente deve se unir contra esses táticas, independentemente da ideologia. Não se trata de esquerda x direita. É sobre decência x barbárie, democracia x autoritarismo, o tipo de espaço público que vamos ter".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247