Governo Bolsonaro tem relatórios sobre jornalistas como os feitos pela ditadura

247 - O  governo Jair Bolsonaro tem produzido relatórios sobre jornalistas e  "outros formadores de opinião"  nos mesmos moldes dos realizados pelos órgãos de repressão durante a ditadura militar, especialmente  os DEOPS (Departamento Estadual de Ordem Política e Social), espalhados por todas as unidades da Federação. Num desses relatórios, 81 jornalistas e influenciadores são separados entre “detratores”, “neutros” e “favoráveis”.

“O relatório revela e leva ao governo as impressões sobre esses profissionais”, escreve o jornalista Rubens Valente, do UOL, em reportagem sobre o assunto. O levantamento intitulado "Mapa de influenciadores", que analisou postagens do mês de maio de 2020 sobre o Ministério da Economia e o ministro Paulo Guedes, foi produzido pela BR+ Comunicação. Ela tem um contrato com o MCTIC (Ciência e Tecnologia) que é aproveitado pelo ME por meio de um Termo de Execução Descentralizada de junho de 2020, no valor total de R$ 2,7 milhões, que inclui outros serviços de comunicação.

O grupo dos “detratores” é o mais numeroso, com 51 nomes. Os "favoráveis" da lista são 23. E os "neutros informativos", oito. 

Entre os supostos "detratores" estão jornalistas com milhares de seguidores, como Vera Magalhães, Guga Chacra, Xico Sá, Hildegard Angel, Cynara Menezes, Carol Pires, Claudio Dantas, Luis Nassif, Brunno Melo, Igor Natusch, George Marques, Palmério Dória, Flávio V. M. Costa, Márcia Denser, Rachel Sheherazade, além dos professores universitários Silvio Almeida, Laura Carvalho, Jessé Souza, Claudio Ferraz, Sabrina Fernandes, Marco Antonio Villa, Conrado Hubner, Rodrigo Zeidan, entre outros - o próprio Rubens Valente está na lista. Ainda no campo dos supostos "detratores" aparecem youtubers e influenciadores como Felipe Neto, Nathália Rodrigues e Jones Manoel. 

Os oito "neutros informativos" citados são Alex Silva, Malu Gaspar, Altair Alves, Cristiana Lôbo, Mônica Bergamo, Marcelo Lins, Ricardo Barboza e Octavio Guedes.

No grupo dos "favoráveis" estão Roger Rocha Moreira, Milton Neves, Rodrigo Constantino, Guilherme Fiuza, Winston Ling, Camila Abdo, Tomé Abduch, entre outros.

O relatório sobre Xico Sá,  que tem 1,5 milhão de seguidores no Twitter, e é hoje protagonista do programa Papo de Segunda, no GNT, e colunista da edição brasileira do jornal El Pais, está redigido nos mesmos moldes dos antigos relatórios do DEOPS: "Faz oposição contumaz ao governo, além de reverberar matérias de teor desfavorável à gestão Bolsonaro". A recomendação sobre Xico é o "monitoramento preventivo das publicações do influenciador em conteúdos relativos ao Ministério da Economia".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio