Greenwald desmente comentarista da Jovem Pan: “como pode ser tolerado?”

O comentarista José Maria Trindade, da rádio Jovem Pan, disse que o MPF teria descoberto novas conversas sobre o jornalista Glenn Greenwald. "Uma mentira total: o PF analisou exatamente o mesmo áudio que o MPF citou. Como pode ser tolerado?", escreveu o americano no Twitter

Glenn Greenwald e José Maria Trindade
Glenn Greenwald e José Maria Trindade (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado | Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O diretor do site The Intercept Brasil, Glenn Greenwald, desmentiu o comentarista José Maria Trindade, da rádio Jovem Pan, após o jornalista afirmar que o Ministério Público Federal (MPF) teria descoberto novas conversas sobre o americano. "É chocante, mesmo pra JP, ver alguém mentir tão descaradamente: Ele mencionou que a PF concluiu que não cometi crimes, mas ele alegou que *depois* o MPF descobriu novas conversas. Uma mentira total: o PF analisou exatamente o mesmo áudio que o MPF citou. Como pode ser tolerado?", escreveu o jornalista no Twitter.

O procurador Wellington Oliveira denunciou Glenn Greenwald, pela produção de reportagens com o conteúdo dos celulares de autoridades, como o atual ministro Sérgio Moro (Justiça) e o procurador Deltan Dallagnol. Foram demonstradas várias irregularidades da Operação Lava Jato, pois, de acordo com as matérias, o ex-juiz interferia no trabalho de promotor, dando orientações sobre as denúncias, o que fere a equidistância entre quem julga e quem acusa. 

Greenwald sequer foi alvo de investigação da Polícia Federal.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247