Helena Chagas: para que serve a candidatura Temer?

"Homem experiente, “profissa” do (P)MDB, Michel Temer sabe que suas chances de reeleição são menos do que mínimas", diz a jornalista Helena Chagas; ela cita, no entanto, que, entre as motivações da eventual candidatura, ela afirma que "Temer tentará passar do papel de acusado/investigado ao de mocinho por enfrentar os bandidos do crime organizado no Rio. De quebra, ainda pode atribuir eventuais novidades na investigação de que é alvo a injunções políticas pelo fato de ser candidato"

"Homem experiente, “profissa” do (P)MDB, Michel Temer sabe que suas chances de reeleição são menos do que mínimas", diz a jornalista Helena Chagas; ela cita, no entanto, que, entre as motivações da eventual candidatura, ela afirma que "Temer tentará passar do papel de acusado/investigado ao de mocinho por enfrentar os bandidos do crime organizado no Rio. De quebra, ainda pode atribuir eventuais novidades na investigação de que é alvo a injunções políticas pelo fato de ser candidato"
"Homem experiente, “profissa” do (P)MDB, Michel Temer sabe que suas chances de reeleição são menos do que mínimas", diz a jornalista Helena Chagas; ela cita, no entanto, que, entre as motivações da eventual candidatura, ela afirma que "Temer tentará passar do papel de acusado/investigado ao de mocinho por enfrentar os bandidos do crime organizado no Rio. De quebra, ainda pode atribuir eventuais novidades na investigação de que é alvo a injunções políticas pelo fato de ser candidato" (Foto: Leonardo Lucena)

247 - "Homem experiente, “profissa” do (P)MDB, Michel Temer sabe que suas chances de reeleição são menos do que mínimas. No entanto, está, de fato, entusiasmado com a possibilidade de sair candidato. Por que, enlouqueceu? Não. Está a cada dia mais vivo e esperto. A candidatura Temer não é para ganhar, mas tem mil e uma utilidades. A principal, garantir seu futuro – fora da presidência da República, bem entendido", diz a jornalista Helena Chagas.

Entre as motivações da eventual candidatura, ela afirma que "Temer tentará passar do papel de acusado/investigado ao de mocinho por enfrentar os bandidos do crime organizado no Rio. De quebra, ainda pode atribuir eventuais novidades na investigação de que é alvo a injunções políticas pelo fato de ser candidato".

"O PMDB ganha tempo para não ter que se comprometer com Alckmin agora. Com a  desistência de Huck e o fim de outras ilusões, o governador de S.Paulo vai se consolidando como a principal candidatura de centro, e seria natural que as forças governistas se unissem em torno dele. Mas há dois “senões” neste momento: a) Temer acha que o tucano não irá defendê-lo no palanque (e não irá mesmo); b) Ninguém tem certeza se Alckmin vai decolar mesmo ou não. Se começar a crescer de forma promissora, lá para junho ou julho o MDB pode apoiá-lo", acrescenta.

Leia mais no site Os Divergentes

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247