Hildegard aponta mídia cúmplice do fiasco na ONU

"Papelão da imprensa ignorar. Até na ditadura jornais davam um jeitinho de falar. Agora, dão um jeito para não falar", critica a jornalista Hildegard Angel, sobre o pouco destaque dado pela imprensa à notícia de que delegações de seis países levantaram e deixaram o local da Assembleia Geral das Nações Unidas no momento da fala de Michel Temer

"Papelão da imprensa ignorar. Até na ditadura jornais davam um jeitinho de falar. Agora, dão um jeito para não falar", critica a jornalista Hildegard Angel, sobre o pouco destaque dado pela imprensa à notícia de que delegações de seis países levantaram e deixaram o local da Assembleia Geral das Nações Unidas no momento da fala de Michel Temer
"Papelão da imprensa ignorar. Até na ditadura jornais davam um jeitinho de falar. Agora, dão um jeito para não falar", critica a jornalista Hildegard Angel, sobre o pouco destaque dado pela imprensa à notícia de que delegações de seis países levantaram e deixaram o local da Assembleia Geral das Nações Unidas no momento da fala de Michel Temer (Foto: Gisele Federicce)

247 - A jornalista Hildegard Angel criticou, pelas redes sociais, o pouco destaque dado pela imprensa à notícia de que delegações de seis países levantaram e deixaram o local da Assembleia Geral das Nações Unidas no momento da fala de Michel Temer.

"Papelão da imprensa ignorar. Até na ditadura jornais davam um jeitinho de falar. Agora, dão um jeito para não falar", postou Hildegard no Twitter.

Trata-se de um episódio inédito na história do evento da ONU, que acontece anualmente em Nova York. O boicote foi praticado por integrantes das delegações do Equador, Costa Rica, Bolívia, Venezuela, Cuba e Nicarágua, países que manifestaram posicionamento contrário ao impeachment de Dilma Rousseff.

O presidente brasileiro tradicionalmente é o primeiro a discursar. Em sua estreia ontem, Temer chamou o impeachment de "depuração" e defendeu que ele obedeceu a constituição brasileira.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247