Ignorado pela imprensa, livro de juristas sobre sentença de Moro esgota no lançamento

"Um exemplo de como a imprensa está desconectada dos setores progressistas da sociedade brasileira foi o lançamento do livro 'Comentários a uma sentença anunciada – O Processo Lula'. O auditório tinha espaço para 400 pessoas, mas, no ato que se seguiu ao lançamento do livro, havia pelo menos duas mil, e tiveram que arrumar um telão para que todos assistissem. Mas quem procurar nos jornais não encontrará quase nada sobre o evento nem sobre o livro", escreve Joaquim de Carvalho, no Diário do Centro do Mundo

"Um exemplo de como a imprensa está desconectada dos setores progressistas da sociedade brasileira foi o lançamento do livro 'Comentários a uma sentença anunciada – O Processo Lula'. O auditório tinha espaço para 400 pessoas, mas, no ato que se seguiu ao lançamento do livro, havia pelo menos duas mil, e tiveram que arrumar um telão para que todos assistissem. Mas quem procurar nos jornais não encontrará quase nada sobre o evento nem sobre o livro", escreve Joaquim de Carvalho, no Diário do Centro do Mundo
"Um exemplo de como a imprensa está desconectada dos setores progressistas da sociedade brasileira foi o lançamento do livro 'Comentários a uma sentença anunciada – O Processo Lula'. O auditório tinha espaço para 400 pessoas, mas, no ato que se seguiu ao lançamento do livro, havia pelo menos duas mil, e tiveram que arrumar um telão para que todos assistissem. Mas quem procurar nos jornais não encontrará quase nada sobre o evento nem sobre o livro", escreve Joaquim de Carvalho, no Diário do Centro do Mundo (Foto: Romulo Faro)

247 - "Um exemplo de como a imprensa está desconectada dos setores progressistas da sociedade brasileira foi o lançamento do livro 'Comentários a uma sentença anunciada – O Processo Lula'. O evento foi ontem à noite, a fila começava no saguão da Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio de Janeiro e se estendia pela rua. O auditório tinha espaço para 400 pessoas, mas, no ato que se seguiu ao lançamento do livro, havia pelo menos duas mil, e tiveram que arrumar um telão para que todos assistissem", escreve Joaquim de Carvalho, no Diário do Centro do Mundo.

No estoque levado para o lançamento no Rio, não sobrou um exemplar para ser vendido. "Mas quem procurar nos jornais não encontrará quase nada sobre o evento nem sobre o livro", continua Joaquim de Carvalho.

"A obra foi escrita por personalidades importantes do direito, quase todas fontes da imprensa em casos variados, mas foi anunciado, em notas minúsculas da imprensa, como um ato contra o juiz Sérgio Moro", continua o jornalista.

Leia a íntegra no Diário do Centro do Mundo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247