Intercept diz ter sido censurado após candidato a prefeito de Manaus se utilizar de influência no Judiciário

Segundo o Intercept Brasil, a reportagem retirada do ar pela Justiça Eleitoral "contava como Ricardo Nicolau, do PSD, aproveitou o acesso privilegiado que tinha ao interior do hospital municipal de campanha para gravar imagens vestido de branco se fosse um médico – ele não é"

Ricardo Nicolau
Ricardo Nicolau (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O site The Intercept Brasil comunicou nesta terça-feira (17) ter sido censurado após a Justiça Eleitoral do Amazonas retirar do ar reportagem com o título: “Candidato de Manaus conta com o hospital da família, a covid e o Judiciário para subir nas pesquisas”.

Segundo o portal, a matéria "contava como o candidato agora derrotado à prefeitura da capital Ricardo Nicolau, do PSD, aproveitou o acesso privilegiado que tinha ao interior do hospital municipal de campanha de Manaus para gravar imagens vestido de branco e visitando leitos de pacientes como se fosse um médico – ele não é".

O Intercept relata ainda que Nicolau não queria apenas a exclusão do material veiculado, mas sim a extinção de todo o site. "Nicolau entrou com quatro representações praticamente iguais contra a publicação no Tribunal Regional Eleitoral no sábado, 14. Nicolau é um homem de sorte: uma delas caiu nas mãos do juiz Alexandre Henrique Novaes de Araújo, que também tem relações próximas com o grupo Samel e com a família Nicolau. Araújo manteve o site no ar, mas determinou a censura do texto alegando que 'a publicação imputa fatos sabidamente inverídicos'".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247