Internautas citam denúncia de propina escondida em pneu e Michelão vai ao TT

Michelle Bolsonaro foi ao Trending Topics do Twitter após internautas citarem a corrupção no MEC, que era comandado por Milton Ribeiro, aliado da esposa de Jair Bolsonaro

www.brasil247.com -
(Foto: Reuters | MEC | Pixabay)


247 - Internautas foram nesta sexta-feira (23) ao Twitter criticar a corrupção e citaram Michelle Bolsonaro após a informação de que o ex-ministro da Educação Milton Ribeiro autorizou a negociação de contratos de obras federais em escolas públicas em troca de reformas nas igrejas dos pastores Gilmar Santos e Arilton Moura. O criminalista Daniel Bialski, advogado da esposa de Jair Bolsonaro (PL), assumiu este ano a defesa de Milton Ribeiro sobre as investigações de irregularidades na liberação de dinheiro do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE). Em junho, Michelle afirmou que "Deus vai provar" que o ex-ministro é "uma pessoa honesta".

Sobre a denúncia desta semana, o empresário do setor da construção civil Ailson Souto da Trindade afirmou ter sido feito um pedido de propina de R$ 5 milhões em dinheiro, que deveria ser escondido no pneu de uma caminhonete.

"O Michelão do MEC", disse uma pessoa no Twitter. 

Um internauta escreveu: "a família Broxonaro são mesmo empreendedores: loja de chocolate, imobiliária, pneus Michelão etc  E aceitam todo tipo de pagamento: cheque, dinheiro vivo, rachadinha, milícia... vc escolhe".

Outro usuário disse que "a moda agora é dinheiro na roda do pastor de direita. Propina e corrupção é roubo". "Esta escrito, não roubarás satanas. Propina no pneu Michelão".

"Hoje nos postos teremos gasolina de graça e pneus da marca Michelão calibrados com notinhas novinhas de Duzentão!".

"CPI do MEC já", escreveu outro internauta. 

 

 

 

 

 

 

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

O conhecimento liberta. Quero ser membro. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email