Internet supera televisão como meio mais importante para informação política

É o que aponta um levantamento realizado pelo instituto Paraná Pesquisas, segundo o qual a internet, com seus portais, sites e mídias sociais, é utilizada por 42,5% dos eleitores em busca de informações sobre as eleições de 2018; já a televisão e os jornais tradicionais são citadas por 36,7% e 6,3% dos entrevistados, respectivamente, como principal  meio de informação; o rádio aparece com apenas 5,6%; pesquisa ouviu 2.240 eleitores em 170 municípios de todas as regiões

Internet supera televisão como meio mais importante para informação política
Internet supera televisão como meio mais importante para informação política
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Um levantamento do instituto Paraná Pesquisas aponta que a internet e não mais a TV é a principal fonte de informação do eleitorado no país. De acordo com a pesquisa, portais, sites e mídias sociais são utilizados por 42,5% dos eleitores em busca de informações sobre as eleições de 2018. Já a televisão e os jornais tradicionais são citados por 36,7% e 6,3%, respectivamente, como principal meio de informação. O rádio aparece em seguida com 5,6% da preferência. Outros 8,8% disseram não saber ou não fazer uso de nenhum veículo de comunicação.

A pesquisa corrobora a tese do sociólogo Marcos Coimbra, presidente do Instituto Vox Populi, que defendeu em artigo nesta quarta (1) o peso cada vez menor da TV nas eleições. Enquanto há queda de audiência dos canais e programas das TVs, o crescimento de veículos como o portal Brasil 247 e a TV 247 é exponencial. Há cerca de 50 milhões de acessos ao portal mensalmente, e a TV 247 já chega a ter 1 milhão de acessos nos dias mais movimentados. É mudança radical no perfil da comunicação no Brasil, com desconcentração e multiplicidade.

Segundo o levantamento, a internet e as mídias sociais são utilizados pela maioria das pessoas com idades entre 16 e 59 anos. Na faixa etária compreendida entre 16 e 24 anos, este índice é de 48,9%, contra 34,9% da televisão, 3,4% dos jornais impressos e 3,9% do rádio. Entre os 25 e 34 anos, a internet e as mídias sociais são as ferramentas mais utilizadas na busca por informações políticas, chegando a 49,6%. Em seguida aparecem a televisão, os jornais impressos e o rádio, com 33,8%, 4,3% e 3,4%, respectivamente.

Entre os que possuem 35 e 44 anos, a internet é utilizada por 43,8% dos eleitores, contra 33,8% da televisão, 7,2% dos jornais tradicionais e 5,7% do rádio. Na faixa compreendida entre os 45 e 59 anos, estes percentuais são de 38,7%, 37,5%, 8% e 6,9%, respectivamente. Já entre os que possuem 60 anos ou mais, a televisão é a principal ferramenta, sendo empregada por 44,1%. A internet aparece em seguida com 32,4%. Os jornais tradicionais e o rádio são preferidos por 7,9%, cada.

A utilização da internet em detrimento das mídias tradicionais é maior entre os que possuem o ensino médio ou o ensino superior. Entre os que possuem o ensino médio, 42,1% fazem uso da internet, contra 36,5% dos que preferem a televisão, 6,6% dos jornais tradicionais e 5,8% do rádio. As mídias sociais e a internet são o meio preferido por 50,2% dos que possuem ensino superior. Outros 31,5% preferem buscar informações na televisão e outros 5,3% por meio dos jornais. O rádio é utilizado por apenas 4,5% deste segmento do eleitorado.

O levantamento feito pelo Instituto Paraná Pesquisas ouviu 2.240 eleitores em 170 municípios de todas as regiões do país entre os dias 25 e 30 de julho. A pesquisa possui um grau de confiança de 95% e a margem de erro é de 2% para os resultados gerais.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247