Janio: Barbosa foi, no STF, o "populismo autoritário"

Segundo o colunista Janio de Freitas, Joaquim Barbosa não deixou o Supremo Tribunal Federal por estar cansado ou por ter sido ameaçado; saiu apenas para não testemunhar a derrota humilhante que sofreria na discussão do direito que presos em regime semiaberto têm ao trabalho externo

Janio: Barbosa foi, no STF, o "populismo autoritário"
Janio: Barbosa foi, no STF, o "populismo autoritário"

247 - Todas as justificativas dadas por Joaquim Barbosa para justificar sua saída do Supremo Tribunal Federal são "inválidas", diz o jornalista e colunista Janio de Freitas. Segundo ele, Barbosa saiu apenas para não testemunhar a derrota que sofreria no julgamento do habeas corpus impetrado pela defesa de José Dirceu sobre o direito que condenados em regime externo têm ao trabalho externo.

Como se sabe, Barbosa impôs a Dirceu uma pena mais gravosa do que aquela à qual foi condenado pelo próprio STF. Embora condenado ao semiaberto, foi encarcerado em regime fechado e impedido de trabalhar. "A tese e as cassações de direito ao trabalho externo, lançadas recentemente por Joaquim Barbosa, já lhe prenunciavam uma sucessão de derrotas no tribunal", diz Janio de Freitas (leia mais aqui).

Na realidade, Barbosa perderia por 10 a um. Isso só não aconteceu porque, autoritário, ele se negou a colocar a questão diante do plenário do STF. Por isso mesmo, Janio afirma que ele personificou o "populismo autoritário" na suprema corte brasileira. Ou melhor: o "autoritarismo populista".


Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247