Janio cobra investigação de Temer no esquema do FI-FGTS

Colunista Janio de Freitas afirmou neste domingo, 5, que as perguntas do deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) a seu ex-aliado Michel Temer revelam um claro indício da participação de Temer no esquema de corrupção envolvendo recursos dos FI-FGTS; "Embora perguntas de defesa e suas respostas não sejam investigações, como pretendeu Sergio Moro, o questionário-revelação de Eduardo Cunha indica que a corrupção na Caixa e no FGTS terá, além da ação em primeira instância, mais um inquérito no Supremo. Quando? O provável é que também quando não ameaçar Michel Temer de deposição. Essa é uma nova regra não dita, mas vigente", afirma

Colunista Janio de Freitas afirmou neste domingo, 5, que as perguntas do deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) a seu ex-aliado Michel Temer revelam um claro indício da participação de Temer no esquema de corrupção envolvendo recursos dos FI-FGTS; "Embora perguntas de defesa e suas respostas não sejam investigações, como pretendeu Sergio Moro, o questionário-revelação de Eduardo Cunha indica que a corrupção na Caixa e no FGTS terá, além da ação em primeira instância, mais um inquérito no Supremo. Quando? O provável é que também quando não ameaçar Michel Temer de deposição. Essa é uma nova regra não dita, mas vigente", afirma
Colunista Janio de Freitas afirmou neste domingo, 5, que as perguntas do deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) a seu ex-aliado Michel Temer revelam um claro indício da participação de Temer no esquema de corrupção envolvendo recursos dos FI-FGTS; "Embora perguntas de defesa e suas respostas não sejam investigações, como pretendeu Sergio Moro, o questionário-revelação de Eduardo Cunha indica que a corrupção na Caixa e no FGTS terá, além da ação em primeira instância, mais um inquérito no Supremo. Quando? O provável é que também quando não ameaçar Michel Temer de deposição. Essa é uma nova regra não dita, mas vigente", afirma (Foto: Aquiles Lins)

247 - O colunista Janio de Freitas afirmou neste domingo, 5, que as perguntas do deputado cassado e ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB), que está preso em Curitiba, a seu ex-aliado Michel Temer revelam um claro indício da participação de Temer no esquema de corrupção envolvendo recursos dos FI-FGTS. 

"Tratamento oposto aos 21 cortes, em 41 indagações de Eduardo Cunha, com que Sergio Moro dispensou Temer de questionamentos problemáticos. Resultado imediato da diferença de condutas em situações idênticas, já se evidencia a necessidade de investigação de mais uma provável irregularidade com dinheiro do FI-FGTS. E mais um motivo para Cunha, o impiedoso, deixar Temer apreensivo", afirma. 

Para Janio, embora faça uma pergunta, Cunha na verdade afirma que Michel Temer tinha conhecimento e participação nas ações de Moreira Franco dentro do FI-FGTS. "O conhecimento fornecido é, porém, incompleto, e Eduardo Cunha é insaciável. Temer, por sua vez, é velho adepto de reuniões pequenas e discretas. Esteve com Léo Pinheiro e Benedito Júnior, da OAS e da Odebrecht, para pedir dinheiro com alegados fins eleitorais? E se assim foi, por outro acaso, o presentinho pedido ficou vinculado a alguma liberação de financiamento do FI-FGTS? O ponto de interrogação às vezes é um desperdício", afirma. 

"Ações judiciais sobre Temer não podem ficar com juízes de primeira instância, como Souza Oliveira e Moro. Embora perguntas de defesa e suas respostas não sejam investigações, como pretendeu Sergio Moro, o questionário-revelação de Eduardo Cunha indica que a corrupção na Caixa e no FGTS terá, além da ação em primeira instância, mais um inquérito no Supremo. Quando? O provável é que também quando não ameaçar Michel Temer de deposição. Essa é uma nova regra não dita, mas vigente."

Leia na íntegra o artigo de Janio de Freitas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247