Jean Wyllys rebate Guga Chacra: ‘não resiste a qualquer crítica pública a seu proselitismo neoliberal’

Após ser criticado uma primeira vez pelo ex-deputado Jean Wyllys (PSOL), o jornalista Guga Chacra o comparou com o parlamentar fascista Eduardo Bolsonaro. O psolista respondeu que Chacra apelou para a “desonestidade intelectual”

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-deputado Jean Wyllys (PSOL) criticou novamente o jornalista Guga Chacra, que atacou a esquerda em postagem nas redes sociais. Após ser criticado uma primeira vez por Wyllys, Chacra comparou o ex-deputado com o parlamentar fascista Eduardo Bolsonaro.

“Um me ataca por ser ‘esquerdista globalista’. Outro por estar a serviço do neoliberalismo dos EUA. Um me ataca por ser crítico de [Donald] Trump [presidente dos EUA]. O outro me ataca após eu criticar Cuba e Venezuela em tweet onde elogio Jacinda [Ardern, primeira-ministra da Nova Zelândia]”, afirmou.

Wyllys respondeu que “Guga Chacra não resiste a qualquer crítica pública a seu proselitismo neoliberal e seu deslumbramento cafona com os EUA disfarçado de jornalismo que já apela para falsa simetria e pra sua conhecida desonestidade intelectual. Não ataquei, fiz crítica justa e respeitosa”.

“Esses sujeitos brancos e ricos com tribunas que sequer correspondem a seus ‘méritos’ acham que podem dizer o que querem sobre o PT, Lula, as esquerdas, os movimentos sociais, a economia... Mas quando vêem seu proselitismo ruim criticado, apelam à desonestidade intelectual”, afirmou.

“Deve ser realmente muito duro para quem vive a emitir, entre iguais, opiniões medíocres e a amiúde eivadas de preconceitos sobre os outros ter que ouvir esses outros lhe responder publicamente e desmascarar sua mediocridade. Força, Guga! Aperta o cadarço do sapatênis!”, completou.

A briga entre os dois começou no domingo, 18, quando Chacra reclamou de "certos setores da esquerda" por se inspirarem nas "ditaduras de Cuba e Venezuela" em vez de buscarem ser como a primeira-ministra da Nova Zelândia, Jacinda Ardern, "uma das mais competentes administradoras do mundo".

Wyllys então cobrou do jornalista que se inspirasse em um "jornalismo decente, verdadeiramente democrático, livre de fake news e de passada de pano para políticas e atos fascistas de um governo autoritário que vocês mesmos ajudaram a eleger, vocês fazem essa propaganda neoliberal ruim (e cafona!)". 

"A sua escolha em falar de certos setores da esquerda em vez de outros, utilizando Cuba e Venezuela como fontes de mistificação anti-esquerda, permite-me dizer que você integra os setores da imprensa que se prestam à desonestidade intelectual em nome do neoliberalismo e dos EUA. Por favor, estou falando apenas dos setores da imprensa comercial que apoiaram direta ou indiretamente o racista apologista da tortura após perpetrem um golpe contra a presidenta eleita, não de TODA A IMPRENSA!", escreveu o ex-deputado.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247