JN omite trechos da gravação que inocentam Mercadante

Ao tratar do relatório da Polícia Federal que apura a iniciativa do ex-ministro Aloizio Mercadante de conversar com o assessor do então senador Delcidio do Amaral, Eduardo Marzagão, o Jornal Nacional de segunda-feira (21) omitiu trechos da gravação que inocentam Mercadante das acusações de obstrução de justiça e tráfico de influência; nos trechos da conversa entre Mercadante e Marzagão omitidos pelo telejornal da TV Globo, o ex-ministro diz expressamente que não interferiria na estratégia jurídica de Delcídio e nem na decisão por eventual delação do então senador

Brasília - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante solenidade de comemoração dos 20 anos do Conselho Nacional de Educação (CNE) (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, durante solenidade de comemoração dos 20 anos do Conselho Nacional de Educação (CNE) (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: José Barbacena)

247 - Ao tratar do relatório da Polícia Federal que apura a iniciativa do ex-ministro, Aloizio Mercadante, de conversar com o assessor do então senador Delcidio do Amaral, Eduardo Marzagão, o Jornal Nacional de segunda-feira (21) omitiu trechos da gravação que inocentam Mercadante das acusações de obstrução de justiça e tráfico de influência.

Nos trechos da conversa entre Mercadante e Marzagão omitidos pelo telejornal da TV Globo, o ex-ministro diz expressamente que não interferiria na estratégia jurídica de Delcídio e nem na decisão por eventual delação do então senador.

O Jornal Nacional também tirou de contexto parte da fala de Mercadante dando a falsa impressão ao telespectador de que o ex-ministro teria oferecendo algum tipo de ajuda indevida à Delcídio do Amaral. Leia os trechos da gravação omitidos pelo Jornal Nacional, em que Mercadante afirma que a conversa é uma iniciativa pessoal de solidariedade e que não iria interferir na defesa ou eventual delação de Delcídio do Amaral:

1 - “Ele se defenda como achar que deve se defender. O que eu estou te chamando aqui para dizer é o seguinte, não estou falando nem como governo porque não estou mais na Casa Civil, estou no MEC: eu serei solidário ao Delcídio”.

2 - “Se ele tá ameaçando a delação...mesmo que ele queira fazer. Eu não vou entrar nisso. A decisão é dele. É um direito dele, ele faz o que achar que deve.”

3 - “Mas é o seguinte, eu não tenho nada a ver... o Delcídio...zero... não tô nem aí se vai delatar, não vai delatar, não tô nem aí...”

4 - “Eu não vou me meter na defesa dele. Não sou advogado, não tenho o que fazer, não sei do que se trata, não conheço o que foi feito”.

Em trechos omitidos pelo Jornal Nacional, Mercadante defende que qualquer procedimento de defesa do então senador Delcídio do Amaral deveria ser feito dentro da mais absoluta legalidade, transparência e consistência junto ao Senado Federal. O telejornal da Globo não menciona, ainda, que
foram firmados por Delcídio do Amaral termos de colaboração com Procuradoria-Geral da República, nos quais não há uma única acusação contra Mercadante apesar de terem trabalhado juntos no Senado e no Governo por 14 anos.

Leia também a íntegra da nota do advogado de defesa de Mercadante,Pierpaolo Bottini, sobre o relatório da Polícia Federal:

Nota:

O ex-ministro Aloizio Mercadante recebe com surpresa a manifestação policial no inquérito que apura gravações de conversa que teve com o Sr. Eduardo Marzagão, assessor do então senador Delcidio do Amaral. Os diálogos não retratam qualquer tentativa de obstrução da Justiça, mas um gesto de apoio pessoal. Nas conversas, Mercadante diz expressamente que não interferiria na estratégia jurídica de Delcídio e nem na decisão por eventual delação. Sugeriu, apenas, que a defesa buscasse a rediscussão da prisão do Senador junto ao Senado Federal, com absoluta legalidade e transparência, uma vez que acreditava na ausência dos requisitos para a detenção.
Mercadante reafirma que jamais intercedeu junto a qualquer autoridade para tratar deste tema. Reitera que confia plenamente na Justiça e no Ministério Público Federal, colocando-se, como sempre, à disposição das autoridades para todos os esclarecimentos necessários.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247