João Roberto Marinho sondou Lula para ser candidato em 2014, diz Haddad

Ex-prefeito de São Paulo relatou, em um ensaio sobre sua vida e carreira publicado na revista Piauí, que cruzou com João Roberto Marinho, do Grupo Globo, "descendo as escadas do Instituto Lula" no início de 2014; "Cumprimentei-o e segui para o encontro com o presidente. Perguntei a ele o motivo daquela visita. Era uma sondagem para que Lula fosse o candidato à Presidência em 2014, no lugar de Dilma"

Ex-prefeito de São Paulo relatou, em um ensaio sobre sua vida e carreira publicado na revista Piauí, que cruzou com João Roberto Marinho, do Grupo Globo, "descendo as escadas do Instituto Lula" no início de 2014; "Cumprimentei-o e segui para o encontro com o presidente. Perguntei a ele o motivo daquela visita. Era uma sondagem para que Lula fosse o candidato à Presidência em 2014, no lugar de Dilma"
Ex-prefeito de São Paulo relatou, em um ensaio sobre sua vida e carreira publicado na revista Piauí, que cruzou com João Roberto Marinho, do Grupo Globo, "descendo as escadas do Instituto Lula" no início de 2014; "Cumprimentei-o e segui para o encontro com o presidente. Perguntei a ele o motivo daquela visita. Era uma sondagem para que Lula fosse o candidato à Presidência em 2014, no lugar de Dilma" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - João Roberto Marinho, que comanda o grupo Globo, chegou a sondar o ex-presidente Lula no início de 2014 para o petista, e não Dilma Rousseff, se candidatasse à presidência na eleição daquele ano.

O relato foi feito pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad (PT), em um ensaio sobre sua vida e carreira publicado na revista Piauí.

Haddad conta ter cruzado com João Roberto Marinho "descendo as escadas do Instituto Lula". "Cumprimentei-o e segui para o encontro com o presidente. Perguntei a ele o motivo daquela visita. Era uma sondagem para que Lula fosse o candidato à Presidência em 2014, no lugar de Dilma", disse.

Haddad lembra que a senadora Marta Suplicy, então no PT, fez um movimento ainda "Mais explícito", chegando "a organizar um jantar de 'Volta, Lula'".

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247