Jornalistas se unem contra o assédio após demissão de repórter do iG

Em vídeo, jornalistas mulheres relatam episódios de assédio já sofridos nas redações, em entrevistas ou mesmo com autoridades; "O assédio é um dos ranços do machismo nosso de cada dia. Expurgar isso com denúncia e com informação é tarefa não só das mulheres, mas de qualquer jornalista que pretenda, de fato, ver uma sociedade menos desigual de oportunidades, conceitos, direitos e deveres", diz trecho do manifesto publicado na página da campanha no Facebook; jornalista de 21 anos do portal iG denunciou assédio do funkeiro MC Biel e foi demitida da empresa 14 dias depois

Em vídeo, jornalistas mulheres relatam episódios de assédio já sofridos nas redações, em entrevistas ou mesmo com autoridades; "O assédio é um dos ranços do machismo nosso de cada dia. Expurgar isso com denúncia e com informação é tarefa não só das mulheres, mas de qualquer jornalista que pretenda, de fato, ver uma sociedade menos desigual de oportunidades, conceitos, direitos e deveres", diz trecho do manifesto publicado na página da campanha no Facebook; jornalista de 21 anos do portal iG denunciou assédio do funkeiro MC Biel e foi demitida da empresa 14 dias depois
Em vídeo, jornalistas mulheres relatam episódios de assédio já sofridos nas redações, em entrevistas ou mesmo com autoridades; "O assédio é um dos ranços do machismo nosso de cada dia. Expurgar isso com denúncia e com informação é tarefa não só das mulheres, mas de qualquer jornalista que pretenda, de fato, ver uma sociedade menos desigual de oportunidades, conceitos, direitos e deveres", diz trecho do manifesto publicado na página da campanha no Facebook; jornalista de 21 anos do portal iG denunciou assédio do funkeiro MC Biel e foi demitida da empresa 14 dias depois (Foto: Gisele Federicce)

247 – Em solidariedade à jornalista do portal iG que foi demitida 14 dias depois de ter denunciado um assédio do funkeiro MC Biel durante uma entrevista, e em protesto contra qualquer tipo de abuso machista já sofrido no trabalho, jornalistas mulheres se uniram nesta segunda-feira 20 por uma campanha nas redes sociais contra o assédio.

A campanha divulga a hashtag ‪#‎jornalistascontraoassédio‬ e reunia mais de 4.500 curtidas na página no Facebook até esta noite. "Jornalista sofre assédio? Onde? Quando? Por quê? Antes fossem simples como um lead jornalístico as respostas para uma questão como essa – mais comum no dia a dia das profissionais do jornalismo do que se pode imaginar. Dentro ou fora das redações. Dentro ou fora das assessorias de imprensa", começa o manifesto publicado na fanpage.

Em um vídeo, várias jornalistas relatam comentários machistas que já ouviram de entrevistados, chefes e até autoridades. "Se eu soubesse que você era bonita assim te dava uma exclusiva", conta uma jovem, sobre uma fonte. "Esse político só vai falar pra sua matéria se você for tomar um café com ele, jogar um charme", ouviu outra.

Na entrevista feita com MC Biel, em maio, e cujos áudios foram divulgados pelo portal iG, a repórter ouviu do funkeiro que ele a levaria para um hotel se ela fosse a última a entrevistá-lo. "Se te pego eu te quebro no meio. Você não pode falar nada", disse ainda o jovem, em referência ao ato sexual. Em outro momento, Biel disse que daria "desconto" à jornalista "porque ela é gostosinha".

A repórter denunciou o caso na 1ª Delegacia da Mulher de São Paulo, que faz a investigação. O cantor divulgou um vídeo pedindo desculpas pela "brincadeira".

Assista ao vídeo da campanha contra o assédio:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247